• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021

Danilo Gentili diz que Marcius Melhem quer silenciá-lo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > geral

Política - Geral

 

Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021

Pesquisa revela que brasileiros são contrários ao decreto das armas

Shopping de armas: brasileiro não concorda com projeto
Shopping de armas: brasileiro não concorda com projeto


A maioria do brasileiros não concordam com a decisão do presidente Bolsonaro de ampliar o número de armas em poder de brasileiros. Mais do que isso: 74% não possuem armas e não têm a intenção de adquirir. O estatuto, portanto, atende a interesse da minoria - o que tornaria o projeto injustificável. A ampliação do número de armas foi anunciada no último dia 12 quando o Palácio do Planalto anunciou a publicação de quatro decretos que facilitam o acesso a armas de fogo. A proposta, segundo o governo, é "desburocratizar procedimentos" e reduzir "discricionariedade de autoridades".

As novas normas aumentam de quatro para seis o número de armas de fogo que um cidadão comum pode comprar e ampliam o acesso de colecionadores, atiradores e caçadores (CACs) a armas e munições sem a necessidade de autorização do Exército.

De acordo com levantamento publicado nesta segunda-feira (22/2) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), em parceria com o instituto de pesquisas MDA, 68,2% dos entrevistados avaliam ser contrários às medidas anunciadas.

Por outro lado, 28,8% dos brasileiros mostraram-se favoráveis às alterações realizadas na legislação, além de 3% que disseram não saber opinar sobre o assunto ou optaram por não responder. Leia aqui a íntegra da pesquisa divulgada.

O levantamento perguntou também sobre a classificação dos entrevistados. Neste quesito, 74,2% disseram que não tem posse de arma de fogo e, apesar da flexibilização promovida pelo presidente, não tem interesse em passar a ter.

Em contrapartida, 19,7% disseram que atualmente não tem posse, mas tem interesse em passar a ter; 1,6%, que tem pedido de posse de arma de fogo em andamento ou análise; e 3,7%, que já tem posse de arma de fogo já aprovada.

Após publicar os decretos, Bolsonaro alegou apoio popular sobre as medidas. Ao ser questionado por jornalistas sobre a flexibilização do acesso a armas, o presidente disse, no dia 14, em São Francisco do Sul (SC), que "o povo está vibrando".

 

Veja também:

>> BBB 21 parece ou não parece uma armadilha para negros?

>> Convenção contra racismo aprovada pelo Congresso depende agora de Bolsonaro

>> Projeto reconhece injúria racial como racismo e o torna imprescritível

>> STF tende a anular condenações de Lula, diz revista

>> "Rasgador de placa" vai acompanhar votação que poderá mantê-lo preso

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Pesquisa revela que brasileiros são contrários ao decreto das armas
 

Copyright 2021 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!