• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021

Danilo Gentili diz que Marcius Melhem quer silenciá-lo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > cultura > novas mídias

Cultura - Novas Mídias

 

Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

Com nome de craque, Romário Galvão quer ocupar a grande área na política social

Por Fábio Lau

Romário: ampliação da Educação Integral
Romário: ampliação da Educação Integral

Romário Galvão tem nome de craque; mas, neste caso, um candidato a craque na política e no movimento social. Nascido em Sergipe e morador do Rio há 30 anos, Romário começou cedo na militância estudantil na década de 80. Sua atuação está centrada em uma das regiões mais desejadas por políticos em véspera de campanha, mas rejeitada após a posse dos governantes. Se houve uma época em que a Zona Oeste andou na moda foi durante a gestão de Saturnino Braga quando chegaram a falar em municipalizá-la. Projeto rejeitado pela população, ela permaneceu como estava: esquecida.



Candidato pelo PCdoB, contando com o apoio de boa parcela da militância, foi dele a ideia de organizar o comício com o ex-presidente Lula e a candidata a prefeita Jandira Feghali em Bangu nesta segunda-feira, dia 26. Mas sabe que, se eleito, o que não vai faltar é cobrança de moradores. E, diferentemente da maioria dos candidatos, não ousará pedir votos e seguir viagem para as zonas abastadas da cidade. Romário tem raízes enfincadas no lugar.

Conexão Jornalismo - Em uma região com tantas demandas, qual delas você pretende apresentar ao prefeito caso consiga se eleger?

Nosso mandato terá um compromisso com as regiões menos favorecidas na cidade. A Zona Oeste, apesar de ser a região mais populosa, é região da cidade que recebe menos investimentos. É necessário integrar a cidade. As Olimpíadas seria uma boa oportunidade para isso, mas a especulação imobiliária conseguiu levar o Parque Olímpico para a Barra. O ideal era que todos os jogos ficassem concentrados em Deodoro. Esse seria o ideal, com os investimentos oriundos dos jogos olímpicos, para diminuir as desigualdades entre as regiões da cidade. Do mesmo modo, as comunidades também merecem uma maior atenção da administração da nossa cidade. No ultimo período ocorreram grandes investimentos na região do Complexo do Alemão, por exemplo, mas sem escutar a opinião daqueles que moram e vivem lá. Então, esse é o desafio: investir nas regiões menos favorecidas escutando o povo que mora e trabalha nesses locais.

CJ- A Câmara Municipal do Rio é um reduto clássico do conservadorismo. É possível pensar em um legislativo minimamente progressista na Câmara Municipal?

Claro! Hoje o número de vereadores que pautam ideias mais avançadas é reduzido em contraste ao caráter fisiológico do restante da casa. Mas acredito na capacidade do povo em mudar esse quadro e, nessas eleições, elegermos vereadores comprometidos com as causas populares. Por isso, uma das minhas grandes propostas é organizar Conselhos Populares em cada bairro para que o mandato possa ir e escutar essas pessoas. Nós precisamos ouvir mais, ser mais atentos. Acredito que todas as esferas do poder público, em especial a prefeitura, tem que ter a mesma postura. Temos que exercer a democracia cotidianamente e não apenas na hora do voto.

CJ- A sua adolescência teve influência do PDT de Brizola que era forte na sua região? Qual a bandeira daquele período que você gostaria de ver retomada?

O grande patrimônio que Brizola construiu na sua gestão no Rio de Janeiro foi ter transformado radicalmente a educação pública do Estado. A proposta dos CIEP's, idealizada por Darcy Ribeiro, é a verdadeira reforma que educacional que o Brasil precisa. Não apenas um horário integral em si mesmo, mas sim um ensino que abra os horizontes dos jovens, que consiga encantar a juventude para o futuro. O ensino integral tem que ter agitadores culturais, esporte, teatro e artes. Enfim, tem que dar mais oportunidades aos nossos estudantes.

CJ- Evangélicos são em geral conservadores. Além disso, boa parcela deles, segundo o IBGE, reside nas zonas Norte e Oeste. O fato de ser comunista lhe cobra um preço na hora de fazer campanha?

Não concordo que os evangélicos sejam conservadores. Os cristãos, assim como os comunistas, pregam a construção de um mundo pautado em valores como a solidariedade e a fraternidade. O que importa, em relação às políticas públicas, é respeitar o caráter laico do Estado. Há algumas questões delicadas e polêmicas, em especial as propostas em relação ao aborto e à política de drogas. Nessas circunstâncias, sempre irei defender, como em outras experiências no mundo como em Portugal (país majoritariamente católico), o papel do Estado como um garantidor da saúde pública.

CJ- Você está organizando o comício com Lula e Jandira em Bangu. Como está vendo a situação nacional e o seu rebatimento na eleição do Rio?

Estamos vivendo um período muito delicado na conjuntura nacional. O golpe realizado por um impeachment fraudulento impõe ao povo brasileiro inúmeros retrocessos. A flexibilização das leis de trabalho, a reforma da previdência, o desmantelamento da Petrobras e a entrega do pré-sal são algumas iniciativas colocadas, O ex-presidente Lula é a maior liderança de esquerda dos nossos tempos e uma figura com grande apelo popular, pois em sua passagem pela presidência transformou sensivelmente a vida do povo brasileiro, tirando-os da miséria. Certamente, a onda de criminalização contra o presidente tem como objetivo concluir o golpe em curso, que significa - em síntese - tirá-lo da disputa da presidência em 2018. O comício que iremos realizar em Bangu nessa segunda-feira será uma resposta popular contra essas arbitrariedades. Assim como será um grande resposta do povo nas urnas a vitória de Jandira na prefeitura, que se tornou um símbolo na luta contra o golpe.

CJ- Você assinou a plataforma pela democratização da mídia no Rio. Como vê esse tema?

Nesse período de intensa luta política é que observamos a necessidade da democratização dos meios de comunicação. Iremos lutar nessa trincheira em defesa da EBC e também da descentralização dos recursos publicitários da prefeitura para veículos menores. Também vamos defender a institucionalização das mídias alternativas nas comunidades. Em geral, a grande imprensa só cobre tragedias e negligencia diversas iniciativas e atividades culturais que ocorrem no mesmo local.

CJ- Por que os cariocas devem confiar em Romário Galvão para depositar seu voto?

Tenho 35 anos de militância política, mas é a primeira vez que aceito o desafio de ser candidato. Minha vida foi dedicada às lutas populares e na Câmara dos Vereadores isso não será diferente. Então, faço um convite a todos que estão indecisos em conhecer nossas propostas e escolherem um projeto progressista e popular para ser a sua voz na Câmara dos Vereadores. Uma de nossas grandes propostas é a concretização da Tarifa Zero nos transportes públicos da cidade. Isso hoje não é uma realidade pelo sequestro que as empresas empregam no poder público. Só que temos que governar para as pessoas, para o povo e não para as empresas. Esse é o nosso compromisso: logo no primeiro dia apresentar o projeto de lei que prevê tarifa zero aos estudantes e desempregados. Quem quiser um mandato de esquerda, aberto ao diálogo e combativo, tem aqui uma boa opção!

NdaR - Conexão Jornalismo divulgará entrevista com candidatos a vereador de cada um dos partidos que solicitar divulgação (uma candidatura por legenda ou coligação). Para isso basta enviar e-mail para radioconexao2010@gmail.com.

 

Veja também:

>> Caçada ao PT continua: Antonio Palocci é preso na Lava-Jato

>> A Educação precisa abraçar o binômio Ensino/Aprendizagem

>> Golpe parlamentar: Cunha vai confirmar aquilo que todo mundo já sabe

>> Para entender o Brasil que aquele que gritou #ForaDilma nos legou

>> Briga do PCdoB X PSOL relembra Brizola e Lula: "e o inferno ganha sempre!"

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Com nome de craque, Romário Galvão quer ocupar a grande área na política social
 

Copyright 2021 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!