• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

Família Bolsonaro se cerca de milícias
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

Geraldo Azevedo admite erro e se desculpa com general Mourão

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > reportagem especial

Reportagem Especial

 

Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2015

Caso Américo Ferreira: Unimed cumpre decisão judicial e aposentado já recebe tratamento domiciliar

por Rogério Imbuzeiro

Após 30 dias de suplício, o paciente finalmente recebe tratamento em casa.
Após 30 dias de suplício, o paciente finalmente recebe tratamento em casa.
Exatamente um mês depois de ter entrado na Casa de Saúde e Maternidade Santa Martha, em Niterói, o comerciante aposentado Américo Ferreira, de 94 anos, conseguiu o que tanto queria. Na tarde desta quinta-feira, ele foi levado do hospital para casa, onde vai dar continuidade ao tratamento.

A transferência já vinha sendo pedida há duas semanas pela família, pela advogada Lucia Moura e por um médico do hospital. Mas somente após a advogada recorrer à Justiça e conseguir uma liminar é que a Unimed montou a estrutura domiciliar necessária (Home Care) para que o paciente receba um tratamento digno e humano.

Esse tipo de serviço não precisa estar estipulado no contrato entre clientes e Planos de Saúde, porque é garantido pela Constituição Federal. Agora em casa, Américo Ferreira contará com atendimento de médicos e enfermeiros, além de receber gratuitamente toda a medicação e o material hospitalar que precisar.

Abaixo, ouça entrevistas marcantes, gravadas nesta quinta-feira à noite, com a advogada Lucia Moura e com o filho de Américo, Joaquim Ferreira, que esteve ao lado do pai durante um mês inteiro de descaso e sofrimento no hospital. A família deverá receber indenização por danos morais e materiais.


A liminar foi concedida pela juíza Beatriz Prestes Pantoja, na última segunda-feira de manhã. Na segunda à noite, um oficial de justiça entregou o documento à Casa de Saúde Santa Martha. A advogada havia entrado com um pedido de antecipação de tutela, para que o hospital e a Unimed garantissem a dignidade e a integridade do paciente.

Segundo Lucia Moura, na manhã de terça-feira já era possível notar uma diferença no atendimento prestado a Américo:

- Era o que sempre deveria ter sido. A gente percebeu claramente que o quarto tava mais arejado e limpo, assim como o Seu Américo também tava um pouco melhor. E tinha gente do hospital mais presente no quarto, ao contrário de antes. Tinha que ser esse o padrão! O cliente sempre pagou o Plano em dia, com muito sacrifício, e o fato de ser um hospital particular deveria ser a garantia de que, pelo menos ali, o paciente seria bem tratado, né? Já que infelizmente nós não temos uma rede de saúde pública eficiente no Brasil...

Américo deixa o hospital e é levado para a ambulância.
Américo deixa o hospital e é levado para a ambulância.   























O caso Américo Ferreira é acompanhado com exclusividade por Conexão Jornalismo desde 13 de janeiro - dia em que encaminhamos uma série de perguntas para o hospital e para a Unimed, conforme nos pediram. Até hoje os questionamentos não foram respondidos. Mas o que importa é o desfecho da história, que representou uma vitória para a família.

Na terça-feira de manhã, o oficial de justiça entregou a liminar à Unimed. Imediatamente, o Plano de Saúde deu início à instalação da Home Care na casa do aposentado.

- Agora o Seu Américo vai contar com tudo que o doutor Claudio Palombo (médico do hospital) tinha pedido, e mais um pouco. Porque ele tinha pedido cuidador, mas a juíza exigiu enfermeiro ao lado do paciente, em casa, enquanto for necessário. E vai ter também equipe médica à disposição 24 horas, além de fonoaudiólogo e fisioterapeuta - tudo. Isso, fora os remédios, os cremes pra escara e pra assadura, fraldas, tudo que foi bancado pelo filho durante esse mês em que o Seu Américo ficou internado. O que foi um absurdo, porque o Plano tinha que bancar - disse a advogada.

































Entenda o caso


No dia 22 de dezembro, Américo Ferreira levou um tombo em casa, mas aparentemente não foi nada muito grave. Américo estava lúcido e caminhava normalmente. Por desencargo de consciência, o filho o levou até o hospital, o que acabou sendo uma condenação.

Após fazer exames, nos dias 22 e 23, o aposentado acabou sendo internado, por recomendação médica, porque estava falando frases desconexas e estaria com pressão alta. Ele começou a tomar remédios e, no terceiro dia, passou a tomar antibióticos, devido a uma infecção hospitalar.

Depois disso, entrou em depressão, não conseguiu mais ficar em pé e, junto com o filho, teve que lidar com todo tipo de falhas no atendimento, inconcebíveis. A deficiência no número de médicos e enfermeiros, num hospital superlotado, comprometeu sua recuperação e acabou por agravar os problemas de saúde. O corpo foi tomado por escaras, devido à falta de pessoal para mover o paciente no leito.

Hoje, Américo precisa de remédios para pressão, diabetes e dores no estômago, problemas que ele não tinha antes da internação.

A caminho de casa, junto com a advogada e o filho.
A caminho de casa, junto com a advogada e o filho.  




















Na mesma ação judicial em que pediu a antecipação de tutela, a advogada Lucia Moura também pediu indenização por danos morais.

- É o mínimo, né? Ninguém merece passar pelo que ele passou. E isso deve servir de exemplo pra todo mundo que tem Plano de Saúde. Não precisa constar no contrato. Se o cliente necessitar, a Constituição garante a Home Care pro paciente. Que também tá respaldado pelo Código de Defesa do Consumidor e, no caso do Seu Américo, pelo Estatuto do Idoso.

O filho Joaquim, corretor de seguros, também comemora o "happy end". Ele tem 65 anos e ajuda no sustento de parentes e do próprio pai, que recebe um salário mínimo de aposentadoria. Precisou ficar afastado do trabalho por quase dez dias, período de muita angústia, pelos gastos que teve e pela incerteza quanto ao destino do pai, que foi piorando a cada dia, a partir da internação.

- Acho que a indenização seria justa. Não por ganância nem nada disso. Mas porque o meu pai trabalhou mais de 70 anos, sempre pagou o Plano em dia, com muita dificuldade e com a minha ajuda inclusive, desde 2009, e é muito injusto ele ter passado os piores dias da vida dele por causa disso, por causa de precariedade de hospital e má vontade dos médicos e enfermeiros. E é importante também pra que o Plano e o hospital não façam mais isso com outras pessoas.

Antes de ir à Justiça, a advogada Lucia Moura procurou seguidas vezes a direção da Casa de Saúde e Maternidade Santa Martha para pedir que dessem maior atenção ao paciente, em vão. Também falou mais de uma vez com o Ouvidoria da Unimed, para que pelo menos algum auditor fosse à unidade hospitalar ver de perto a situação do conveniado, inutilmente. Acabou se vendo obrigada a recorrer à medida extrema.

Leia a série de reportagens publicadas em Conexão:

Unimed e hospital particular de Niterói acusados de negligência e descaso com paciente

Unimed e hospital particular fazem jogo de empurra e ancião continua com a vida em risco

Justiça obriga Unimed a garantir tratamento domiciliar a idoso de 94 anos


.
Ouça as entrevistas com Joaquim Ferreira e Lucia Moura:

 

Veja também:

>> BBB 15 tem a pior audiência da história

>> A baixaria começou: Aline, BBB15, diz que tem fotos íntimas divulgadas pelo noivo na Internet

>> Buenos Aires: a onda é paquerar na praia através do aplicativo Tinder

>> Jornal divulga o passo a passo do fuzilamento do brasileiro Marco Archer

>> Vanessa Grazziotin propõe acabar com reeleição ilimitada de deputados e senadores

>> Perito controverso, Ricardo Molina tenta desacreditar gravação que atinge Eduardo Cunha

>> Oito mistérios que rondam a morte do promotor Nisman

>> Dilma prefere posse de Morales ao Fórum Econômico Mundial e retorna ao centro das discussões

>> A chuva não vem e crise hídrica se agrava em SP e no RJ

>> 'A Cultura da Razão Cínica' (1988) - um texto antológico que infelizmente continua atual

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Caso Américo Ferreira: Unimed cumpre decisão judicial e aposentado já recebe tratamento domiciliar
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!