• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quinta-feira, 17 de Maio de 2018

Eloisa Mafalda morre aos 93 anos

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > futebol > brasileiro

Futebol - Brasileiro

 

Quarta-feira, 01 de Novembro de 2017

Diretoria do Botafogo vai acionar ex-presidente: R$ 50 mi

O ex-presidente (esq) e o atual: Céu e inferno em uma mesma gestão
O ex-presidente (esq) e o atual: Céu e inferno em uma mesma gestão
O crime não ficará sem castigo na seara alvinegra. O time da estrela solitária, que para muitos reencontrou o caminho que poderá fazer retomar os tempos de glória, tentará, na Justiça, se ressarcir de gestões predatórias que canibalizaram o patrimônio e deixaram sob risco o futuro da entidade centenária. E o alvo é o ex-presidente Maurício Assumpção. Nesta terça-feira (31), o departamento jurídico do clube ajuizou ação de cobrança de perdas e danos de ao menos R$ 50 milhões contra Maurício Assumpção Souza Junior, perante a 50ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, por conta de contratos assinados e que se mostraram lesivos aos interesses do clube.

Entre as queixas estão o não pagamento de direitos trabalhistas aos atletas e até contratos firmados com a empreiteira Odebrecht sem a devida autorização do Conselho Deliberativo do clube.

Além de Assumpção, que já foi expulso do quadro de associados, o Botafogo também reportou o ex-CEO do time, Sérgio Landau, o diretor-presidente da Odebrecht, Benedito Barbosa da Silva Jr., o diretor da construtora, Leandro Andrade Azevedo, e o presidente do Complexo Maracanã Entretenimento S.A., João Borba Filho.

Durante os dois períodos de Assumpção, o Botafogo viveu o céu e o inferno. No primeiro curso, de três anos, o clube montou um bom elenco e chegou a disputar as primeiras posições no Brasileiro. Entretanto, na sua segunda gestão, deixou de pagar dívidas trabalhistas e fez contratações de impacto que lesaram os cofres do clube. Uma delas foi a do craque holandês, Seedorf.

A Comunicação do clube, tocada pelo empresário Thiago Cesário Alvim, foi um dos pontos altos do período. O dirigente viajava pelo país realizando encontros com torcedores e promovendo a venda de títulos de sócios torcedores. Outra boa iniciativa foi a reaproximação de antigos craques com os torcedores - uma das marcas do Botafogo até hoje. Era o programa Feijão do Fogão. Por outro lado, nas áreas de marketing, publicidade e gestão financeira, a coisa desandava.

Contra todos os prognósticos, a atual gestão consegue, pouco a pouco, dar a volta por cima. Carlos Eduardo Pereira montou um elenco homogêneo e vibrante que conseguiu atrair para si o respeito da torcida e principalmente de adversários e mídia. Neófito na gestão de clube, Pereira teve o mérito de caminhar com segurança sem jogar para a platéia, mas para a torcida.

A eleição do sucessor este mês é considerada tão certa que apenas um candidato apareceu para a disputa. Mas as dívidas, herdadas da gestão anterior, são o Calcanhar de Aquiles a ameaçar o futuro do Glorioso.

Veja a nota na íntegra:

O Botafogo de Futebol e Regatas, em virtude das apurações ocorridas durante o processo de expulsão do ex-Presidente, vem a público informar que ajuizou ação de cobrança de perdas e danos contra o Sr. Maurício Assumpção Souza Junior, perante a 50ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Os prejuízos que o sr. Maurício Assumpção Souza Junior causou ao clube, dentre outros, decorreram da exclusão do Botafogo de Futebol e Regatas do Ato Trabalhista perante a Presidência do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro; do não pagamento de direitos trabalhistas de atletas que acarretaram a rescisão indireta dos contratos de trabalho e a perda dos direitos federativos e econômicos que caberiam ao Botafogo; o não pagamento intencional e confessado de tributos, onerando o Botafogo com multas e encargos, e ainda a contratação de suspeitos, irregulares e simulados contratos de mútuos com a Odebrecht e outros, sem dar ciência e obter autorização do Conselho Deliberativo, comprometendo as receitas futuras e todo o patrimônio do clube.

Estima-se que os prejuízos que deverão ser indenizados ao Botafogo ultrapassem a cifra de R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais).


 

Veja também:

>> Armandinho, o mago da guitarra baiana, ataca de Chorinho no Rival

>> O dia em que o concurso de miss fez história e silenciou os homens - vídeo

>> O que fará Raquel Dodge diante das novas denúncias de Funaro?

>> Depois de comprar deputados, Temer reduz salário mínimo em 2018

>> Ministro da Justiça diz que PM é sócia do crime e manda em Pezão

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Diretoria do Botafogo vai acionar ex-presidente: R$ 50 mi
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!