• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20190715 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quarta-feira, 10 de Julho de 2019

Racismo na TV:apresentador ofende o povo negro ao criticar Ibope - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > conexão tv

Conexão TV

 

Sexta-feira, 04 de Janeiro de 2019

Índios Guaranis temem massacre com mudança na legislação

Foto de Luca Meola, do Mídia Ninja - David
Foto de Luca Meola, do Mídia Ninja - David

A mudança na legislação que trata da demarcação de terras indígenas, defendida pelo governo Bolsonaro, traz consigo um risco iminente de massacre das populações indígenas. A ameaça foi manifestada pelo líder Guarani, David Karai Popygua, da Terra Indígena Jaraguá, na zona norte de São Paulo. Segundo ele, os 305 povos indígenas existentes no Brasil, com suas 274 línguas nativas, estão ameaçados de morte. A questão da demarcação sai da Funai para o Ministério da Agricultura, comandado por Tereza Cristina, representante da bancada ruralista.

Em reportagem de Glauco Faria publicada pelo site Rede Brasil Atual, David revela que "essa mudança representa claramente uma grande ameaça aos povos indígenas. Bolsonaro coloca os povos indígenas abaixo dos ruralistas para que todos os interesses de exploração e os territórios sejam entregues aos ruralistas. É uma ameaça grotesca porque não dá direito algum aos povos de se defender e nem de ter algum direito. Na prática, é a liberação de todo o território indígena para a exploração dos ruralistas e do agronegócio fazerem o que bem entenderem", afirmou.

Popygua destaca que o Estado brasileiro deveria reconhecer os direitos dos povos indígenas, conforme a Constituição. Para ele, a decisão do governo Bolsonaro representa o fim da política indigenista no Brasil. "É um absurdo o que está acontecendo. Daqui pra frente vão acontecer muitas mortes e quem mais vai sofrer com essa situação são as crianças, os jovens e os velhos indígenas."

Para o líder, não há dúvida de que a dificuldade atual dos povos originários de garantir os seus direitos ficará muito pior. "A gente não consegue nem imaginar o que é entregar o território e os povos nas mãos dos ruralistas que, historicamente, nos perseguem", lamenta, enfatizando que o Brasil já tem um alto índice de mortes por questões fundiárias.

Segundo Popygua, com 60% do território indígena ainda não demarcado, não deverão ocorrer novas demarcações de terra no governo de Bolsonaro. "O governo está negando o direito histórico dos povos indígenas e, sem dúvida, dizendo que eles não merecem respeito, não merecem dignidade, não merecem ter a sua cultura preservada. É como se nós, agora, fôssemos um alvo do governo a ser exterminado."

A liderança guarani faz, inclusive, um apelo para que a população brasileira não fique omissa. "Até as pessoas que votaram nesse governo têm que se manifestar, porque são medidas absurdas. Estamos falando da vida dos povos indígenas."

Publicado originalmente RBD

 

Veja também:

>> Lula, Caetano.... O Brasil masculino estará de rosa dia 10

>> Ministra da Goiabeira começa a enfrentar hostilidades - vídeo

>> Juiz escreve a Lula e diz: quiseram te tirar da eleição!

>> A arte de ser "bajulador"

>> Moro, que vazou áudio de Dilma, impõe silêncio ao Coaf

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Índios Guaranis temem massacre com mudança na legislação
 

Copyright 2019 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!