• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Terça-feira, 04 de Dezembro de 2018

Filme sobre golpe contra Dilma exibido no Parlamento Britânico
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Quarta-feira, 05 de Dezembro de 2018

Após massacre ao cão, Masterchef omite nome do Carrefour do programa

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > brasil

Política - Brasil

 

Segunda-feira, 08 de Outubro de 2018

Jornalista ameaçada de estupro e agredida por eleitores de Bolsonaro

Rosto cortado com o que parecia ser um canivete, disse
Rosto cortado com o que parecia ser um canivete, disse
Imagem reprodução da internet

Uma jornalista que pede anonimato relatou ter sido alvo de agressão física e ameaça de estupro após votar em uma escola em Recife. Funcionário do Jornal do Commércio de Pernambuco, uma das mais tradicionais publicações do país, a jovem prestou queixa na delegacia que tenta agora reunir imagens de câmeras de segurança no lugar onde ela afirma ter sofrido a agressão. O caso ocorre logo após o assassinato de um capoeirista, em Salvador, morto após discutir com um eleitor de Bolsonaro. O homem, de 63 anos, acabou assassinado com golpes de faca.


De acordo com a jornalista, os dois homens atacaram-na e a ameaçaram de estupro no momento em que saía do local de votação, no bairro de Campo Grande, na zona norte do Recife. Segundo ela relatou à Polícia, um deles vestia camisa do candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL). O motivo da agressão, de acordo com a profissional, seria o fato de ela ser jornalista.

A jornalista afirma que o fato aconteceu por volta das 14h na Rua Franklin Távora. Depois de ter votado, ela se dirigiu ao carro, que estava estacionado na via. Dois homens portando um pedaço de ferro abordaram-na na rua. "Tinham um ferro, tipo um canivete. Viram meu crachá e disseram que eu era 'riquinha' e 'de esquerda' e também ameaçaram um estupro", conta. Neste momento, relatou os dois a cortaram no braço e no queixo.

Leia também:
capoeirista é esfaqueado após bate-boca sobre Bolsonaro


Segundo a repórter, um dos homens era branco, usava uma calça jeans e uma camisa preta que tinha a foto do presidenciável com os dizeres "Bolsonaro Presidente"; e o outro também branco, vestia uma camisa verde e calça jeans.

Minutos depois, segundo a repórter, um carro que passava na rua buzinou e os agressores se assustaram, saindo correndo na direção de um bar de esquina onde estaria um grupo bebendo.

Com hematomas no rosto e cortes nos braços, a jornalista prestou queixa à polícia, às 15h30 deste domingo (7). "Todas as providências necessárias já foram tomadas pela Polícia Civil. Foi feito registro do Boletim de Ocorrência, ela foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) e a polícia foi ao local para tentar identificar os suspeitos", explicou o delegado Rômulo Aires, titular da Delegacia do Espinheiro, na Zona Norte do Recife.

Os investigadores vão solicitar as imagens das câmeras de segurança da área onde ocorreu a agressão. O resultado do exame de corpo de delito feito pela jornalista no IML será divulgado em 20 dias.

Nota de repúdio



O Sindicato dos jornalistas profissionais de Pernambuco e a Federação Nacional dos Jornalista emitiram nota de repúdio contra a agressão. Eis a íntegra:

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco (Sinjope) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) repudiam veementemente o ataque sofrido por uma jornalista do Sistema Jornal do Commércio de Comunicação (SJCC) na tarde deste domingo (7). Sinjope e Fenaj se solidarizam com a vítima, que tem o nome preservado para sua proteção, e colocam à disposição a assessoria jurídica do Sindicato.

Segundo registrado em matéria do portal do SJCC, dois homens agrediram e ameaçaram a jornalista de estupro no momento em que ela saía do local de votação, na zona norte do Recife. A repórter disse que um dos agressores usava uma camisa com os dizeres "Bolsonaro Presidente". De acordo com a profissional, a agressão ocorreu devido ao fato dela ser jornalista.

A repórter prestou queixa do ocorrido. O Sinjope e a Fenaj exigem pronta apuração do fato pelas autoridades policiais, bem como punição exemplar dos culpados. Também se exige que a empresa preste toda a assistência necessária à funcionária.

A violência contra jornalistas representa um ataque à liberdade de expressão e à liberdade de imprensa. Trata-se de algo inaceitável.

 

Veja também:

>> Fátima Bezerra é a única mulher a disputar um governo no país

>> PT encolhe, mas ainda é a maior bancada

>> Haddad precisa de muito mais do que dos votos de Ciro

>> Capoeirista baiano é morto por eleitor de Bolsonaro

>> Boas notícias? Sim - po Marília Sampaio

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Jornalista ameaçada de estupro e agredida por eleitores de Bolsonaro
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!