• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020

Felipe Neto critica Globo e CNN em entrevista na Globonews - vídeo
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Quinta-feira, 06 de Agosto de 2020

Netflix: Rede de Ódio é um filme obrigatório nestes tempos

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > esportes > ufc

Esportes - UFC

 

Sábado, 04 de Junho de 2016

E quando a cultura do estupro está na música?

Da Redação - por Sugestão de André dos Santos

Falar da cultura do estupro pressupõe abordar temas espinhosos. Um deles é quando a gente procura na MPB músicas que fizeram sucesso e que contém letras que incitam, propagam ou minimizam a violência ou o abuso sexual contra a mulher. O festejado compositor Chico Buarque diz, por exemplo, em "Se eu fosse seu patrão", que "Se eu fosse o teu patrão; Eu encurralava; Te dominava;Te violava no chão". Claro, é arte, é música, mas tem gente querendo levar o combate a cultura do estupro ao pé da letra. E aí? Qual sua opinião?

Roberto Carlos, em "Este Cara Sou Eu", mostra com quantos paus se faz um machismo puro: "O cara que pega você pelo braço/ Esbarra em quem for que interrompa seus passos/ Está do seu lado pro que der e vier/ O herói esperado por toda mulher"

Eis outras músicas que tratam a mulher como objeto sexual violável ou que incitam a violência:


" A cultura do estupro é a cultura do funk" Disseram


MPB:
Quando você gritou mengo
No segundo gol do Zico
Tirei sem pensar o cinto
E bati até cansar
(João Bosco)

Se eu fosse o teu patrão
Eu encurralava
Te dominava
Te violava no chão
Te deixava rota, morena
Se eu fosse o teu patrão
Quando tu quebrava
E tu desmontava
E tu não prestava mais não
(Chico Buarque)

Samba:
Na subida do morro me contaram
Que você bateu na minha nêga
Isso não é direito
Bater numa mulher que não é sua
(Moreira da Silva)

Rock:
Todo homem que sabe o que quer
Pega o pau pra bater na mulher
Ô Silvia, piranha
(Camisa de Vênus)

Sertanejo:
Na muié eu dei um jeito
Corretivo do meu modo
No quarto deixei tracada
Quinze dia aprisionada
E com ela não incomodo
(João Carreiro e Capataz)

RAP:
E tu vem,
Meu coração parte e grita assim
'Arrasa biscate!'
Merece era uma surra,
De espada de São Jorge
(Emicida)

Axé:
Tudo que é perfeito a gente pega pelo braço
Segura ela no meio
Mete em cima e mete em baixo
(É o Tchan)

Brega:
Se te agarro com outro
Te mato!
Te mando algumas flores
E depois escapo
(Sidney Magal)

Pagode:
Mas se ela vacilar, vou dar um castigo nela
Vou lhe dar uma banda de frente
Quebrar cinco dentes e quatro costelas
(Zeca Pagodinho)

Qual sua opinião? Estas músicas ou outras do gênero deveriam ser censuradas?

A música de Chico Buarque, Se eu fosse teu patrão, foi feita para o espetáculo Ópera do Malandro:

 

Veja também:

>> Por que esta fotografia veio parar aqui?

>> Prefeitura tapa buraco no asfalto que matou editor da Globo

>> Odebrecht e OAS: Aécio aparece como beneficiário de 5% em propina

>> Educação de filhos: suspenderam a chinelada, mas instituíram a troca da senha do wifi

>> Invento genuinamente brasileiro deveria ganhar prêmio. Repara só!!!

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
E quando a cultura do estupro está na música?
 

Copyright 2020 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!