• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Terça-feira, 20 de Junho de 2017

Viva Roda - Felipe Pena faz a roda do jornalismo girar para a esquerda - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > gastronomia > bares

Gastronomia - Bares

 

Quarta-feira, 08 de Fevereiro de 2017

Bar Astor de Ipanema e o machismo consentido

Da Redação

Bar Astor: uma caixa cinza a caminho no mar
Bar Astor: uma caixa cinza a caminho no mar

Uma nota de Ancelmo Gois, publicada no último dia seis de fevereiro, não mereceu o devido destaque. Mas deveria. Talvez por se tratar de um bar pé-de-pantufa de Ipanema, inspirado nos bares sofisticados e, para muitos, sem alma, muito comuns em São Paulo. Localizado onde foi o Barril 1800, virou uma espécie de caixote cinza de localizado ali, a caminho do mar. - Eis a nota!!!



"Que vexame, Astor!

Seis moças, de 21 e 22 anos, estavam, quinta, no Astor, em Ipanema, quando foram importunadas por um senhor cinquentão, cambaleando: "Quem é a mais bonita? Quem é a mais gostosa?".

As jovens não deram atenção, e o homem começou a gritar: "Vagabundas! Piranhas!".
Uma delas, ao chegar em casa, ligou para se queixar com o gerente do bar. E ele: "Não podia fazer nada. Ele é cliente como vocês"."

NdaR - O que assusta é a inércia da administração diante de uma queixa para lá de procedente de uma das jovens. Pelo que se vê, a partir da resposta do gerente,a gestão do bar acredita que desde que o cliente pague poderá ofender a quem quiser. A pergunta é: de onde vem tais princípios? Se pagar dá direito a ofensa, para não ser ofendido o único indicado seria não ir ao bar, certo?

Conexão Jornalismo fez contato com o Bar Astor através do site oficial do Bar na Internet. A resposta que nos foi encaminhada é esta:


Em relação à nota "Que vexame, Astor", publicada na coluna Ancelmo Gois, do jornal O Globo, o Bar Astor esclarece:
Lamentamos profundamente o ocorrido com as referidas clientes.
Reiteramos que de forma alguma compactuamos com a atitude inconveniente do cliente envolvido no caso. Esclarecemos inclusive que, dentro do bar, o maître da casa tentou sensibilizar o cliente de sua postura.
Destacamos também que o contato telefônico posterior da cliente com a casa não foi feito com nosso gerente e que estamos apurando com seriedade quem foi o responsável pela resposta inadequada dada, com a qual discordamos frontalmente.
Nos desculpamos pela ocorrência e nos colocamos à disposição das clientes caso elas desejem esclarecer detalhes do caso.

Bar Astor.

 

Veja também:

>> Cão desaparece em Floripa e recompensa é de R$ 2 mil

>> Nada como tirar férias: Obama pratica kitesurf e viraliza na rede - vídeo

>> Movimento de PMs do ES repete estratégia de Bolsonaro nos anos 80

>> Ciro denuncia "escândalo" da privatização da Cedae - vídeo

>> Pacientes de São Paulo receberam órgãos de dona Marisa

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Bar Astor de Ipanema e o machismo consentido
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!