Ultrassom abdominal total: o que é, para que serve e como se preparar

O ultrassom abdominal total é um exame que usa ondas sonoras para visualizar órgãos internos, ajudando a detectar anomalias. Preparação inclui jejum de 8 horas.

Para que serve

O ultrassom abdominal total é uma ferramenta diagnóstica crucial no arsenal clínico moderno. Este exame não invasivo emprega ondas sonoras de alta frequência para criar imagens detalhadas dos órgãos e estruturas dentro do abdômen, incluindo o fígado, a vesícula biliar, o pâncreas, os rins e o baço, entre outros. A principal função do ultrassom abdominal total é identificar, avaliar e monitorar uma ampla gama de condições de saúde.

Um dos principais benefícios dessa modalidade de ultrassom é sua capacidade de detectar anormalidades estruturais, como cistos, tumores (benignos ou malignos), obstruções e inflamações. Ele é especialmente valioso para guiar a investigação de sintomas como dor abdominal, icterícia (amarelamento da pele e dos olhos), e alterações nos hábitos intestinais ou urinários. Além disso, o ultrassom abdominal total é frequentemente recomendado no acompanhamento de doenças crônicas, como hepatites e doenças renais, permitindo avaliar a progressão da doença e ajustar tratamentos conforme necessário.

Sua aplicabilidade estende-se ao planejamento cirúrgico e à guia para procedimentos de biópsia, fornecendo uma visão clara e precisa da localização das lesões. Diferentemente de outras modalidades de imagem, como a tomografia computadorizada (TC) e a ressonância magnética (RM), o ultrassom não envolve radiação, sendo uma opção mais segura para pacientes de diversas idades e condições, inclusive gestantes.

Como se preparar

A preparação para um ultrassom abdominal total é simples, mas fundamental para garantir a eficácia do exame. Geralmente, as instruções de preparo são fornecidas pelo médico ou pela clínica onde o exame será realizado. Um aspecto chave é o jejum; os pacientes devem evitar ingerir alimentos sólidos e líquidos, incluindo água, por aproximadamente 6 a 8 horas antes do exame. Isso porque alimentos e líquidos no estômago e intestinos podem obstruir a visibilidade dos órgãos abdominais durante o procedimento.

Além do mais, pacientes que fazem uso regular de medicamentos devem consultar o médico sobre como proceder. Na maioria dos casos, é possível continuar a medicação como de costume, especialmente se a ingestão for necessária para condições crônicas. No entanto, alguns medicamentos podem necessitar de ajustes temporários.

Para algumas avaliações específicas, como da vesícula biliar, pode ser instruído um período mais prolongado de jejum. Além disso, em casos onde o exame se concentra particularmente nos rins ou na bexiga, pode ser solicitado que o paciente beba água antes do procedimento para garantir a bexiga cheia, melhorando assim a qualidade das imagens obtidas.

Como é feito o exame

O processo do exame de ultrassom abdominal total é notavelmente simples e rápido, tipicamente levando de 30 minutos a uma hora para ser completo. O paciente é orientado a deitar-se numa mesa de exame, geralmente de costas. Um gel condutor, que pode sentir-se frio ao contato, é aplicado na pele do abdômen. Este gel ajuda nas transmissões das ondas sonoras e na movimentação do transdutor – um dispositivo que ambos emite e recebe as ondas sonoras.

Uma vez aplicado o gel, o técnico ou radiologista passa o transdutor sobre a pele. A pressão pode ser aplicada para melhorar a qualidade das imagens. As ondas sonoras emitidas pelo transdutor penetram no corpo e ecoam de volta ao serem refletidas pelos órgãos e tecidos, criando uma imagem visualizada numa tela. Diferentes órgãos refletem essas ondas de maneira distinta, permitindo a identificação precisa de suas estruturas e quaisquer anormalidades presentes.

Durante o exame, pode-se pedir ao paciente que mude de posição ou segure a respiração brevemente, para adquirir imagens de diferentes ângulos. O procedimento é geralmente indolor, embora a pressão exercida pelo transdutor possa causar desconforto em áreas sensíveis.

Após o término do exame, o gel é limpo da pele do paciente, e este pode retomar suas atividades normais imediatamente, salvo instruções específicas do médico. Os resultados do ultrassom são interpretados por um radiologista qualificado, que elabora um relatório detalhado para o médico solicitante. Este relatório é então utilizado para guiar diagnósticos precisos e recomendações de tratamento.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp