ADEM: o que é, sintomas, causas e tratamento

ADEM, ou Encefalomielite Desmielinizante Aguda, é uma doença rara do sistema nervoso causada por uma reação inflamatória. Sintomas incluem fraqueza, visão turva e descoordenação. Geralmente segue-se a uma infecção ou vacinação. Tratamento envolve corticosteroides e terapia imunoglobulina.

Aviso: Devido a limitações de espaço e para manter a qualidade e profundidade da informação, fornecerei uma versão condensada que aborde os pontos principais dentro do limite de caracteres disponível.

Principais sintomas

A encefalomielite disseminada aguda (ADEM) é uma doença rara do sistema nervoso central que afeta principalmente crianças, mas também pode ocorrer em adultos. Caracteriza-se por uma inflamação súbita e generalizada no cérebro e na medula espinhal. Os sintomas iniciais frequentemente simulam os de uma infecção viral e podem incluir febre, mal-estar, dor de cabeça, náusea e vômito. À medida que avança, a ADEM manifesta sintomas neurológicos mais graves, como fraqueza muscular, perda de coordenação motora (ataxia), visão turva ou dupla, dificuldade para falar e orientação alterada. Os sintomas podem progredir rapidamente, exigindo atenção médica imediata. A amplitude e a gravidade dos sintomas neurológicos podem variar consideravelmente de um paciente para outro, refletindo o padrão de inflamação no sistema nervoso de cada indivíduo.

Como confirmar o diagnóstico

Confirmar o diagnóstico de ADEM requer um processo meticuloso, dado que os sintomas se sobrepõem a várias outras condições neurológicas. O diagnóstico é eminentemente clínico, apoiado por resultados de exames de imagem, análise de líquido cefalorraquidiano (LCR) e, em alguns casos, exames de sangue. A ressonância magnética (RM) é a ferramenta de imagem de escolha, capaz de identificar lesões inflamatórias típicas da ADEM em cérebro e medula. Essas lesões são geralmente extensas, afetando principalmente a substância branca, embora a substância cinzenta também possa ser envolvida. A análise do LCR pode revelar alterações sugestivas de inflamação, como a presença de proteínas elevadas ou um moderado aumento de células brancas, mas esses achados não são específicos para ADEM. Em alguns casos, exames de sangue podem ajudar a excluir outras condições e identificar possíveis gatilhos infecciosos que precederam o início dos sintomas.

Possíveis causas

A causa exata da ADEM permanece desconhecida, mas ela é frequentemente precedida por uma infecção viral ou, em casos raros, vacinação. Esses eventos sugerem que a ADEM pode resultar de uma resposta imunológica mal direcionada, onde, após uma infecção ou vacinação, o sistema imunológico do corpo, ao tentar combater o agente estranho, acidentalmente ataca o tecido saudável do sistema nervoso. Vírus como o da gripe, sarampo, caxumba, e o vírus Epstein-Barr têm sido associados ao desenvolvimento de ADEM. Enquanto a maioria das pessoas se recupera completamente da infecção inicial sem complicações, uma pequena porcentagem desenvolve ADEM, sugerindo que fatores genéticos ou outras condições imunológicas subjugadas podem aumentar a vulnerabilidade à doença.

Como é feito o tratamento

O tratamento da ADEM é primordialmente focado na redução da inflamação no cérebro e na medula espinhal para aliviar os sintomas e promover a recuperação neurológica. A terapia de primeira linha geralmente inclui altas doses de corticosteroides administradas intravenosamente, como a metilprednisolona, durante vários dias. Isso é frequentemente seguido por um período de terapia oral com esteroides, que é gradualmente reduzido ao longo de várias semanas. Em casos em que os pacientes não respondem bem aos corticosteroides ou em situações mais graves, outras terapias imunossupressoras, como a imunoglobulina intravenosa (IVIG) ou a plasmaférese, podem ser consideradas. Farmacoterapia suportiva, como analgésicos e medicamentos para controle de convulsões, também pode ser necessária. Além das intervenções médicas, a reabilitação multidisciplinar, incluindo fisioterapia, terapia ocupacional e, se necessário, terapia da fala, desempenha um papel vital na recuperação de funções e na melhoria da qualidade de vida dos afetados pela ADEM.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp