Principais causas de câncer de colo de útero

O câncer de colo de útero é frequentemente causado pelo HPV. Fatores de risco incluem múltiplos parceiros sexuais, imunodeficiência e fumo.

O câncer de colo de útero se configura como uma das principais preocupações na saúde feminina, destacando-se como uma das formas de câncer mais comuns entre mulheres em diversas partes do mundo. Sua prevenção e diagnóstico precoce são fundamentais para um prognóstico favorável, tornando indispensável a divulgação dos seus principais fatores de risco, sintomas iniciais e medidas preventivas. Com esse foco, buscaremos esclarecer esses pontos cruciais neste artigo.

Principais causas

O câncer de colo de útero está fundamentalmente ligado à infecção persistente por tipos oncogênicos do Papilomavírus Humano (HPV). A infecção por HPV é considerada a causa primária deste tipo de câncer, sendo que os tipos 16 e 18 do vírus estão relacionados a aproximadamente 70% dos casos de câncer de colo de útero em todo mundo. Além da infecção por HPV, existem outros fatores de risco importantes a considerar, como o tabagismo, o uso prolongado de contraceptivos orais, a presença de múltiplos parceiros sexuais, início precoce da atividade sexual, e um sistema imunológico comprometido. Estes fatores aumentam a suscetibilidade à infecção por HPV e a subsequente progressão para câncer.

Quando suspeitar de câncer

Os sintomas do câncer de colo de útero muitas vezes só se tornam evidentes em estágios mais avançados da doença; contudo, existem sinais precoces que não devem ser ignorados. Entre eles, destaca-se o sangramento vaginal anormal, especialmente após a relação sexual, entre períodos menstruais ou após a menopausa. Outros sintomas incluem dor durante as relações sexuais, secreção vaginal anormal e dor pélvica. É importante ressaltar que a presença destes sintomas não estabelece um diagnóstico direto de câncer, mas são indicativos de que é necessário procurar avaliação médica para investigação apropriada.

Como prevenir o aparecimento do câncer

A prevenção do câncer de colo de útero está intrinsicamente ligada à redução dos fatores de risco e ao incremento das práticas que promovem a detecção precoce. Uma das ferramentas mais eficazes na prevenção deste tipo de câncer é a vacinação contra o HPV. Recomenda-se a vacinação de meninas e meninos antes do início da vida sexual, oferecendo proteção contra os principais tipos de HPV relacionados ao câncer. Além da vacinação, realização regular de exames preventivos, como o Papanicolau, é crucial para detectar alterações pré-malignas ou malignas no colo do útero em estágios iniciais, permitindo um tratamento mais eficaz e com maiores chances de cura. Outras medidas preventivas incluem a prática de sexo seguro, a limitação do número de parceiros sexuais e a cessação do tabagismo. Essas práticas, combinadas com a conscientização sobre os fatores de risco e os sintomas iniciais, constituem a base para a prevenção efetiva do câncer de colo de útero.

Este artigo almeja esclarecer sobre as principais causas, os sinais que devem levar à suspeita de câncer de colo de útero e, crucialmente, as medidas preventivas que podem ser adotadas. Ao promover o conhecimento e a conscientização sobre esses aspectos, pode-se contribuir significativamente para a diminuição da incidência e da mortalidade relacionadas a essa doença, melhorando assim a qualidade de vida e o prognóstico para muitas mulheres.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp