O que é diastema e como é feito o tratamento

Diastema refere-se ao espaço visível entre dois dentes, comumente os da frente. O tratamento varia, incluindo aparelho ortodôntico, facetas ou resinas.

Tratamento do Diastema

O diastema, comumente conhecido como dentes separados, é uma condição odontológica onde há um espaço extra ou um vão entre dois ou mais dentes. É especialmente comum entre os dentes frontais superiores, mas pode ocorrer em qualquer lugar na boca. Enquanto algumas pessoas aceitam seus diastemas como características que lhes conferem personalidade ou até charme, outros podem se sentir incomodados e buscar métodos para corrigi-los. O tratamento do diastema pode variar dependendo da causa subjacente e do tamanho do espaço.

Um dos tratamentos mais comuns é o uso de aparelhos ortodônticos. Os aparelhos funcionam aplicando pressão constante sobre os dentes, movendo-os lentamente ao longo do tempo para fechar o espaço. Este método pode ser uma solução eficaz, mas requer paciência, já que pode levar vários meses ou até anos para alcançar os resultados desejados.

Outra opção é o uso de facetas de porcelana ou lentes de contato dental, que são camadas finas de cerâmica aplicadas na superfície frontal dos dentes, alterando sua forma, tamanho ou cor. No caso de diastema, esses procedimentos podem ser projetados para aumentar a largura dos dentes adjacentes ao espaço, fechando o vão de maneira efetiva e proporcionando um sorriso harmonioso.

O bonding dentário, ou adesão dentária, é outro tratamento para diastema. Esse procedimento envolve a aplicação de uma resina composta, que é cuidadosamente moldada e endurecida com luz ultravioleta, oferecendo uma solução rápida e menos invasiva. Embora ofereça bons resultados estéticos, pode não ser tão duradouro quanto outros métodos.

Em casos onde o diastema é causado por um freio labial excessivamente grande, pode-se recorrer à frenectomia, que é um procedimento cirúrgico simples para remover ou alterar o freio. Este procedimento pode ser necessário antes de iniciar outros tipos de tratamento ortodôntico, a fim de evitar o reaparecimento do diastema após o tratamento.

Por que os dentes ficam separados

A ocorrência de diastemas, ou espaços entre os dentes, pode ser resultado de diversas causas. Uma das razões mais comuns é simplesmente genética. Se os dentes de uma pessoa são naturalmente pequenos em relação ao tamanho de sua mandíbula, pode haver um espaço extra entre eles. Da mesma forma, se a pessoa herda uma combinação de dentes pequenos de um progenitor e uma mandíbula grande de outro, isso pode resultar em diastemas visíveis.

Além da genética, hábitos infantis, como o uso prolongado de chupeta ou sucção do dedo, podem levar ao desenvolvimento de espaços entre os dentes. Esses hábitos podem exercer pressão sobre os dentes e a mandíbula, afetando a forma como eles crescem e se alinham.

Outra causa comum é um freio labial grande ou mal posicionado. O freio labial é uma faixa de tecido que conecta o lábio superior à gengiva logo acima dos dentes frontais. Se for especialmente grande ou se estender até perto da borda dos dentes, pode impedir que os dentes se juntem corretamente, resultando em um diastema.

A perda de dentes também pode causar diastemas, especialmente se os dentes não são substituídos. Quando um dente é perdido e não substituído, os dentes adjacentes podem se mover lentamente em direção ao espaço vazio, o que pode eventualmente causar a abertura de espaços entre outros dentes.

Problemas de oclusão, onde os dentes não se encaixam corretamente ao fechar a boca, podem forçar os dentes a se movimentarem ao longo do tempo, criando espaços. Além disso, certas condições de saúde, como doenças gengivais, podem enfraquecer o suporte dos dentes, levando ao surgimento de espaços entre eles.

Compreender a causa específica do diastema é crucial, pois direciona o profissional de odontologia na escolha do método de tratamento mais eficaz. Independentemente da causa, o diagnóstico e a intervenção adequada podem transformar um sorriso com diastema, melhorando tanto a estética quanto a funcionalidade bucal.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp