Dente trincado: causas, sintomas e tratamento

Dente trincado pode surgir de trauma ou má oclusão, causando dor e sensibilidade. O tratamento varia de resinas a coroas, dependendo da gravidade.

### Dente Trincado: Causas, Sintomas e Tratamento

Principais Causas

Os dentes, estruturas duras e resistentes, são essenciais para diversas funções, como a mastigação e a fala. Contudo, apesar de sua robustez, eles não estão isentos de danos. Entre esses, o trincado dentário é um problema comum, porém, muitas vezes, não é detectado prontamente, o que pode levar a complicações maiores. Para entender melhor esse problema, é essencial conhecer suas causas.

O bruxismo, ou seja, o ato de ranger ou apertar os dentes involuntariamente, especialmente durante o sono, é uma das principais causas. Essa condição pode exercer uma pressão excessiva sobre os dentes, trazendo como consequência a formação de trincas.

Traumas diretos na área bucal, seja por acidentes, quedas ou impactos durante práticas esportivas, também estão entre as causas. A força brusca nesses acidentes pode causar não apenas trincas mas também fraturas mais severas.

Mudanças extremas na temperatura alimentar, como consumir algo extremamente quente seguido de algo gelado, podem causar choques térmicos. Essas rápidas variações de temperatura podem levar a microtrincas no esmalte, a camada mais externa do dente, que com o tempo podem se aprofundar.

Outra causa relevante é o desgaste natural dos dentes ao longo dos anos ou condições como cárie dentária, que enfraquece a estrutura dentária, tornando-a mais suscetível a trincas.

Como Identificar

Identificar um dente trincado nem sempre é uma tarefa fácil, principalmente quando a trinca é pequena ou se localiza em uma área de difícil visualização. Contudo, existem alguns sinais e sintomas que podem auxiliar nessa detecção.

Um dos sintomas mais comuns é a dor ao morder ou mastigar, que ocorre porque a pressão exercida ao mastigar pode mover as partes trincadas do dente, irritando a polpa dentária, a parte interna do dente onde se encontram os nervos e vasos sanguíneos.

A sensibilidade a alimentos ou bebidas quentes, frias ou doces também pode ser indicativa de um dente trincado. Essa sensibilidade ocorre porque a trinca pode expor a dentina, a camada abaixo do esmalte, ou até mesmo a polpa, tornando o dente mais sensível a variações de temperatura e doçura.

Em alguns casos, é possível visualizar a trinca, especialmente se ela for grande ou se estiver localizada em um dente da frente. O uso de uma luz direta ou de um espelho pode ajudar nessa identificação.

Outro sinal é a inflamação gengival próxima ao dente afetado. A trinca pode permitir a entrada de bactérias na cavidade do dente, levando à inflamação do tecido gengival adjacente.

O que Fazer

Ao identificar um dente trincado, é crucial não ignorar o problema, mesmo que a dor ou desconforto sejam mínimos. A primeira ação deve ser marcar uma consulta com um dentista o quanto antes. Isso porque, se não for tratado, o dente trincado pode levar a problemas mais graves, como a infecção da polpa dentária (pulpitis) ou mesmo a necessidade de extração do dente.

O tratamento dependerá da gravidade e da localização da trinca. Opções de tratamento incluem colagem, em que um material semelhante ao do dente é usado para preencher a trinca; coroas, que envolvem o recobrimento do dente trincado com uma capa protetora; e em casos mais sérios, pode-se recorrer ao tratamento de canal, que envolve a remoção da polpa dentária afetada.

Além do tratamento profissional, é importante adotar medidas para prevenir o agravamento do problema ou a ocorrência de novas trincas, como utilizar um protetor bucal durante atividades esportivas ou durante a noite, se sofrer de bruxismo.

Conhecer as causas e os sinais de um dente trincado é essencial para a detecção e tratamento precoces. Assim, além de evitar dor e desconforto, é possível preservar a saúde e a funcionalidade dos dentes por um longo período. Sempre consulte um dentista ao primeiro sinal de problema para assegurar o melhor tratamento possível.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp