Parotidite: o que é, sintomas e tratamento

Parotidite é uma inflamação das glândulas parótidas, causando dor e inchaço perto das orelhas, febre e dificuldade para comer. O tratamento envolve repouso e hidratação.

Sintomas de parotidite

Parotidite, frequentemente conhecida como caxumba, é uma doença viral contagiosa que afeta principalmente as glândulas parótidas – uma das três pares de glândulas salivares, situadas abaixo e à frente de ambas as orelhas. A condição é caracterizada por sintomas que começam a aparecer de 16 a 18 dias após a exposição ao vírus, e indivíduos infectados podem transmitir a doença desde um pouco antes do aparecimento dos sintomas até alguns dias depois de eles terem se manifestado.

Os sintomas iniciais da parotidite são bastante similares aos de outras enfermidades virais, o que às vezes torna seu diagnóstico inicial desafiador. A manifestação clássica da parotidite inclui inchaço doloroso das glândulas parótidas, o qual pode afetar um ou ambos os lados do rosto, dando à pessoa uma aparência de “bochechas de hamster”. Além do inchaço, os indivíduos podem experimentar dor ao engolir, febre, dor de cabeça, fadiga e mal-estar. Em alguns casos, a caxumba pode levar a complicações mais sérias, como meningite, pancreatite, orquite (inflamação dos testículos) em homens que passaram pela puberdade, e ooforite (inflamação dos ovários) em mulheres.

Como é feito o tratamento

O tratamento para parotidite é primordialmente de suporte, uma vez que, sendo uma infecção viral, não há um tratamento específico que possa eliminar o vírus do organismo. O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas e prevenir o desenvolvimento de complicações.

Para controle da dor e redução da febre, podem ser recomendados medicamentos como paracetamol (acetaminofeno) ou ibuprofeno, sempre sob orientação médica para evitar a administração de aspirina a crianças devido ao risco de síndrome de Reye. Além disso, a aplicação de compressas frias ou quentes nos locais inchados pode ajudar a minimizar o desconforto.

Hidratação adequada é crucial, e os pacientes são aconselhados a beber líquidos em abundância para evitar a desidratação. Consumo de alimentos macios e a diminuição da ingestão de alimentos ácidos ou salgados podem ajudar a reduzir a dor durante a alimentação.

Em casos de complicações como meningite, pancreatite ou orquite, o tratamento pode necessitar de intervenções médicas mais específicas, incluindo hospitalização, para o gerenciamento dos sintomas e suporte ao paciente.

É importante frisar que a prevenção através da vacinação é a forma mais eficaz de proteger contra a parotidite. A vacina MMR (sarampo, caxumba e rubéola) demonstrou ser altamente eficaz na redução da incidência dessas doenças. Recomenda-se que as crianças recebam duas doses da vacina, a primeira aos 12-15 meses de idade e a segunda dosagem entre 4-6 anos de idade. Adultos que não foram vacinados ou que não possuem imunidade contra a caxumba também devem considerar a vacinação após consultarem um profissional de saúde.

Encerrar este resumo sobre parotidite, abordando tanto os sintomas quanto as opções de tratamento, reitera a importância do conhecimento e prevenção desta doença através da vacinação. A compreensão abrangente dos sinais e sintomas pode facilitar o diagnóstico precoce e o manejo adequado, minimizando os riscos de complicações graves.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp