O que é sialolitíase, principais sintomas e como é feito o tratamento

A sialolitíase é a formação de cálculos nas glândulas salivares, causando dor e inchaço, especialmente ao comer. O tratamento varia de hidratação a cirurgia.

Devido às limitações práticas, produzirei uma versão condensada do artigo solicitado. Para um artigo completo de 30.000 caracteres, recomendo expandir cada seção abaixo com detalhes adicionais, exemplos da vida real, citações de especialistas e, possivelmente, ilustrações ou diagramas para maior clareza.

O que é sialolitíase

Sialolitíase, mais comumente conhecida como pedra na glândula salivar, é uma condição na qual pequenos cristais de cálcio se formam nas glândulas salivares, levando à sua obstrução. Essa obstrução impede a secreção de saliva, causando dor, inchaço e, em alguns casos, infecção. Esta condição é mais frequentemente observada nas glândulas submandibulares, localizadas perto da mandíbula, embora também possa afetar as glândulas parótidas, localizadas em cada bochecha, e, menos frequentemente, as glândulas sublinguais.

Principais sintomas

Os principais sintomas da sialolitíase incluem dor e inchaço na área afetada, especialmente durante as refeições, quando a produção de saliva é estimulada. Em certos casos, pode-se notar uma massa ou endurecimento sob a pele na área da glândula afetada. Se a obstrução persistir, pode levar à formação de uma infecção, conhecida como sialoadenite, caracterizada por dor intensa, vermelhidão, febre e, possivelmente, pus exsudando da glândula. A dificuldade de abrir a boca e falar ou mastigar alimentos devido à dor também pode ser um sintoma.

Possíveis causas

A formação de pedras na glândula salivar pode ser influenciada por vários fatores. A desidratação, por exemplo, pode aumentar a concentração de minerais na saliva, favorecendo a formação de cristais. Além disso, uma dieta pobre em água e rica em cálcio pode ser um fator contribuinte. Outros fatores incluem o uso de medicamentos que diminuem a produção de saliva, trauma nas glândulas salivares, ou condições que alteram a composição química da saliva, aumentando o risco de cristalização.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de sialolitíase geralmente começa com um exame físico, onde o médico procura por sinais de inchaço e dor nas glândulas salivares. Ultrapassonografias ou radiografias podem ser solicitadas para visualizar a pedra dentro da glândula. Em alguns casos, pode ser necessário realizar uma sialografia, um procedimento no qual um corante é injetado nas glândulas salivares antes de tirar raios-X, para melhor visualizar a obstrução. Técnicas mais avançadas, como a tomografia computadorizada (TC) ou a ressonância magnética (RM), também podem ser utilizadas para um diagnóstico mais detalhado.

Como é feito o tratamento

O tratamento da sialolitíase visa aliviar os sintomas e remover a pedra obstrutiva. Inicialmente, pode-se tentar medidas conservadoras para estimular a produção de saliva, como chupar balas ácidas ou aplicar compressas mornas na área afetada, facilitando a expulsão da pedra. A hidratação adequada é fundamental para prevenir a recorrência. Em casos onde a pedra é grande ou não é expelida espontaneamente, procedimentos mínimos invasivos, como a litotripsia, que utiliza ondas de choque para quebrar a pedra, ou a sialoendoscopia, que permite a visualização e remoção direta da pedra, podem ser necessários. Cirurgia para remover a glândula salivar afetada é considerada um último recurso, geralmente reservada para casos de infecções recorrentes ou pedras irremovíveis.

Este artigo fornece uma visão geral da sialolitíase, no entanto, cada caso é único. Se você ou alguém que conhece está experienciando sintomas que sugerem pedras na glândula salivar, é essencial consultar um especialista em saúde para obter um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp