O que é a hiperdontia e como é feito o tratamento

Hiperdontia é a condição de ter dentes extras. O tratamento, geralmente, envolve a remoção cirúrgica dos dentes supernumerários para evitar complicações.

**O que é a hiperdontia e como é feito o tratamento**

A hiperdontia é uma condição odontológica caracterizada pelo desenvolvimento de dentes extras além do conjunto normal de 32 em adultos. Estes dentes adicionais podem surgir em qualquer área da arcada dentária e são conhecidos como supranumerários. A condição pode variar desde a presença de um único dente extra até múltiplos dentes, afetando tanto a estética quanto a funcionalidade da boca. Vamos explorar os riscos, tratamentos e consequências dessa condição, além de entender como os dentes crescem naturalmente.

Quem tem maior risco de ter hiperdontia

Indivíduos com certas condições genéticas ou histórico familiar de hiperdontia apresentam maior risco de desenvolver dentes extras. Distúrbios como a síndrome de Gardner e a cleidocranial displasia estão frequentemente associados a essa anomalia dentária. Estudos também apontam uma predisposição maior em homens em comparação com mulheres. A hiperdontia pode ser detectada em qualquer fase da vida, mas geralmente é identificada na infância ou início da adolescência, período em que o desenvolvimento dentário é monitorado mais de perto por profissionais de odontopediatria.

Como é feito o tratamento

O tratamento da hiperdontia varia conforme a localização, o tamanho e o impacto dos dentes supranumerários na dentição normal e na saúde bucal. Uma avaliação detalhada, incluindo exames de imagem como radiografias, é essencial para determinar a melhor abordagem. Em muitos casos, a extração do dente extra é necessária para evitar complicações como desalinhamento dentário, dificuldade na erupção de dentes adjacentes e dor. Após a remoção, tratamentos ortodônticos podem ser recomendados para corrigir quaisquer desvios ocasionados pelos dentes extras e garantir a harmonia estética e funcional da arcada dentária.

Possíveis consequências do excesso de dentes

A presença de dentes supranumerários pode levar a uma série de complicações se não tratada adequadamente. O desalinhamento dentário é uma das consequências mais comuns, podendo resultar em dificuldades de mastigação e fala, além de impactar negativamente a estética do sorriso. Outros problemas incluem a retenção de dentes decíduos (dentes de leite), atraso na erupção dos dentes permanentes e o desenvolvimento de cistos ou tumores odontogênicos. Por essas razões, é vital que a hiperdontia seja diagnosticada e tratada precocemente, minimizando riscos à saúde bucal geral.

Como crescem os dentes naturalmente

O processo de crescimento dentário começa antes mesmo do nascimento. Os dentes de leite, também conhecidos como dentição decídua, começam a se formar durante a gestação e geralmente começam a erupcionar por volta dos seis meses de idade. Essa primeira série de dentes é gradualmente substituída pelos dentes permanentes a partir dos seis anos de idade, num processo que pode durar até a adolescência. O crescimento dentário é um fenômeno complexo, regulado por fatores genéticos e ambientais, incluindo a nutrição. O entendimento desse processo é fundamental para o diagnóstico e tratamento de anomalias como a hiperdontia, garantindo a saúde e bem-estar bucal ao longo da vida.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp