Latuda (lurasidona): para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Latuda (lurasidona) é um medicamento antipsicótico utilizado no tratamento de esquizofrenia e transtorno bipolar em adultos. Deve ser tomado com alimentos, conforme indicação médica. Possíveis efeitos colaterais incluem náuseas, sonolência e ansiedade.

Latuda (lurasidona): Para que serve

A lurasidona, comercialmente conhecida como Latuda, é um medicamento utilizado no tratamento de transtorno bipolar e esquizofrenia. Esses transtornos mentais podem causar sintomas como delírios, alucinações, mania e depressão. A lurasidona atua como um estabilizador de humor e antipsicótico, auxiliando na diminuição desses sintomas e promovendo uma melhor qualidade de vida para os pacientes.

Latuda (lurasidona): Como tomar

A administração da lurasidona deve ser feita apenas sob prescrição médica, pois o uso inadequado ou sem orientação pode causar danos à saúde. O medicamento está disponível em forma de comprimidos revestidos, que devem ser ingeridos inteiros, sem partir ou mastigar, acompanhados por um copo de água ou conforme a orientação do médico.

A dose recomendada varia de acordo com o quadro clínico de cada paciente e pode ser ajustada ao longo do tratamento. É importante seguir fielmente as orientações médicas, respeitando a quantidade e os horários das doses prescritas. O tratamento com lurasidona geralmente é iniciado com uma dose baixa, que é aumentada gradualmente conforme a resposta do paciente.

Latuda (lurasidona): Possíveis efeitos colaterais

Assim como outros medicamentos, a lurasidona pode causar efeitos colaterais. Nem todos os pacientes apresentam reações adversas, mas é importante estar atento para possíveis ocorrências. Alguns dos efeitos colaterais mais comuns incluem náuseas, vômitos, tonturas, sonolência, insônia, agitação, ansiedade, constipação e tremores.

Casos mais raros podem envolver reações alérgicas, problemas no fígado, aumento da pressão arterial, alterações no ritmo cardíaco, ganho de peso, diabetes, alterações nos níveis de colesterol e triglicerídeos, entre outros. É fundamental consultar um médico caso algum efeito colateral seja percebido, para que sejam adotadas as medidas necessárias.

Latuda (lurasidona): Quem não deve tomar

A lurasidona não é indicada para todas as pessoas e existem algumas contraindicações importantes a serem consideradas. O uso desse medicamento não é recomendado para pacientes com histórico de alergia à lurasidona ou a outros componentes da fórmula. Além disso, gestantes, lactantes e crianças devem evitar o uso de lurasidona, a menos que seja estritamente indicado pelo médico responsável.

Pessoas com problemas renais, hepáticos, cardíacos ou com histórico de convulsões devem ser cautelosas ao utilizar esse medicamento, pois podem apresentar maior sensibilidade aos efeitos colaterais. É essencial informar ao médico sobre qualquer condição de saúde existente antes de iniciar o tratamento com lurasidona, garantindo a segurança e eficácia do medicamento.

Em suma, a lurasidona, comercializada como Latuda, é um medicamento utilizado no tratamento de transtorno bipolar e esquizofrenia. Sua ação estabilizadora de humor e antipsicótica contribui para o alívio dos sintomas dessas condições. No entanto, seu uso deve ser feito somente sob prescrição médica, respeitando dosagens e horários recomendados. Como qualquer medicamento, a lurasidona pode causar efeitos colaterais, que variam de pessoa para pessoa. É importante estar atento a possíveis reações adversas e procurar um médico para orientações adequadas.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp