Como saber se o bebê tem “alergia ao leite materno”

Descubra sinais de possível intolerância ao leite materno em bebês, incluindo cólicas, gases excessivos, choro constante e problemas de pele.

Principais sintomas

A ideia de que um bebê possa desenvolver alergia ao leite materno pode parecer incomum, mas na realidade, os sintomas observados estão geralmente relacionados a alergias às proteínas presentes no leite de vaca, que podem ser transmitidas ao bebê através do leite materno. Este fenômeno é conhecido como alergia à proteína do leite de vaca mediada pelo leite materno. Os sintomas podem ser variados e afetar distintos órgãos e sistemas do corpo do bebê, manifestando-se de formas múltiplas. Entre os indicativos mais comuns estão distúrbios gastrointestinais, como cólicas intensas, gases, diarreia, presença de sangue ou muco nas fezes, refluo gastroesofágico, além de irritabilidade ou choro excessivo, especialmente após as mamadas. Manifestações cutâneas também são frequentes, a exemplo de eczema, rash cutâneo, urticária ou mesmo angioedema. Sintomas respiratórios, tal como chiado no peito, tosse persistente ou dificuldade respiratória, podem igualmente sugerir uma reação alérgica. É primordial reconhecer tais sintomas precocemente para que se possa buscar orientação médica adequada sem demoras.

Como confirmar a alergia

Confirmar a presença de alergia à proteína do leite de vaca mediada pelo leite materno exige uma abordagem detalhada e muitas vezes multidisciplinar. Inicialmente, é fundamental realizar um acompanhamento cuidadoso dos sintomas em relação à dieta da mãe e à reação do bebê após as mamadas. Diários alimentares podem ser úteis para identificar possíveis correlações entre o consumo de laticínios pela mãe e os sinais de desconforto no bebê. Em termos diagnósticos, o pediatra pode recomendar o afastamento temporário de todas as fontes de proteína do leite de vaca da dieta da mãe, adotando um período de observação dos sintomas no bebê. Caso haja melhora significativa, isso pode ser um indicativo de alergia à proteína do leite de vaca. Para confirmação, pode-se realizar a reintrodução controlada do alimento na dieta da mãe sob supervisão médica, observando-se a resposta do bebê. Testes cutâneos de alergia e exames de sangue específicos para identificar anticorpos IgE também podem ser parte da avaliação, embora sua aplicabilidade e interpretação devam sempre ser discutidas com o alergista ou pediatra responsável. Em algumas situações, podem ser indicadas também avaliações com um gastroenterologista pediátrico para excluir outras causas de sintomatologia gastrointestinais.

Como é feito o tratamento

O tratamento da alergia à proteína do leite de vaca mediada pelo leite materno requer, primeiramente, a eliminação completa dessa proteína da dieta da mãe. Esta medida visa garantir que o bebê não continue sendo exposto ao alérgeno através do leite materno. A mãe pode necessitar de orientação dietética especializada para substituir os nutrientes essenciais e garantir uma alimentação equilibrada tanto para a sua saúde quanto para o desenvolvimento saudável do bebê. Suplementos como o cálcio podem ser recomendados. É fundamental manter o aleitamento materno, pois o leite materno oferece benefícios imunológicos, nutricionais e psicológicos insubstituíveis para o bebê. Em casos em que os sintomas não se resolvem somente com a modificação da dieta da mãe, pode ser necessário avaliar a saúde gastrointestinal do bebê mais detalhadamente e considerar outras intervenções, sob orientação médica. Para bebês com sintomas severos ou que não melhoram com a exclusão das proteínas de leite de vaca, pode ser necessário o uso de fórmulas hipoalergênicas especiais, sob supervisão pediátrica. O acompanhamento contínuo com o pediatra e, se necessário, com um especialista em alergia é crucial para monitorar a evolução do quadro e ajustar o tratamento conforme necessário, visando sempre o bem-estar e saúde tanto da mãe quanto do bebê.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp