Candidíase na gravidez: sintomas, causas e tratamento

A candidíase na gravidez, comum devido a alterações hormonais, manifesta-se por coceira e corrimento. Trata-se com cremes antifúngicos, após aval médico.

Candidíase na Gravidez: Sintomas, Causas e Tratamento

A candidíase na gravidez é uma preocupação frequente entre gestantes. Este artigo pretende esclarecer os principais pontos relacionados a esta condição, indo dos sintomas e causas até o diagnóstico e tratamento adequados.

Sintomas

Os sintomas da candidíase na gravidez não diferem muito dos experimentados por mulheres que não estão grávidas. O principal indício é uma coceira intensa na região vaginal, acompanhada frequentemente por um corrimento branco e espesso, semelhante à consistência de queijo cottage. Algumas mulheres também podem experimentar ardor, especialmente durante a relação sexual ou ao urinar. É importante destacar que, embora desconfortáveis, esses sintomas não são exclusivos da candidíase e podem ser indicativos de outras infecções. Portanto, a avaliação médica é imprescindível para um diagnóstico correto.

Causas

A candidíase é causada pelo fungo Candida albicans, que, em situações normais, já se encontra presente no corpo humano, incluindo a região vaginal. No entanto, alguns fatores podem desencadear um desequilíbrio na flora vaginal, favorecendo a proliferação deste fungo. Na gravidez, as mudanças hormonais são um fator significativo, aumentando a probabilidade de ocorrência da candidíase. Outros aspectos como o uso de antibióticos, que podem alterar a flora bacteriana da vagina, o aumento do açúcar no sangue e uma imunidade baixa, também contribuem para o desenvolvimento desta condição durante a gravidez.

Como confirmar o diagnóstico

Confirmar o diagnóstico de candidíase na gravidez é fundamental para iniciar o tratamento correto. O processo inicia-se com uma consulta médica, na qual o profissional de saúde irá realizar um exame físico e observar os sintomas apresentados. Para uma confirmação mais precisa, pode ser requisitado um exame de cultura vaginal. Neste, uma amostra do corrimento é coletada e enviada para análise laboratorial, permitindo identificar se o crescimento excessivo de Candida albicans é a causa dos sintomas. Esse passo é crucial, pois garante que o tratamento prescrito seja o mais adequado para a condição diagnosticada, evitando a automedicação, que pode ser prejudicial tanto para a gestante quanto para o desenvolvimento fetal.

Cada seção deste artigo foi cuidadosamente elaborada para fornecer informações relevantes sobre a candidíase na gravidez, cobrindo desde os primeiros sinais até as práticas para um diagnóstico assertivo. A compreensão desses aspectos é crucial para o manejo eficaz da condição, promovendo uma gravidez mais confortável e saudável. Lembramos que, apesar das informações aqui presentes, a consulta médica é indispensável para qualquer suspeita de candidíase ou outra condição de saúde durante a gravidez.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp