Niclosamida: para que serve e como usar

Niclosamida é um medicamento utilizado no tratamento de parasitoses intestinais causadas por diferentes tipos de vermes. Deve ser administrado conforme orientação médica, podendo variar de acordo com o tipo de infestação.

Para que serve

A niclosamida é um medicamento utilizado principalmente no tratamento de infecções causadas por tênias ou vermes solitários. É indicada especialmente para o combate à Taenia solium e Taenia saginata, os dois tipos mais comuns de tênias que acometem os seres humanos. A niclosamida age de forma eficaz contra esses parasitas, impedindo sua sobrevivência e reprodução no organismo humano.

Modo de uso da niclosamida

A niclosamida pode ser administrada tanto em comprimido como em suspensão oral. A dosagem recomendada depende do peso do paciente, mas geralmente é de 2g a 4g por dia, divididos em duas ou três doses. É importante seguir as instruções do médico ou as recomendações presentes na bula, já que a dose pode variar de acordo com a idade e gravidade da infecção.

A niclosamida deve ser ingerida com água e preferencialmente durante as refeições para minimizar a possibilidade de desconfortos gastrointestinais. Caso surjam sintomas como náuseas, vômitos ou dor abdominal, é importante informar o médico para que seja realizada a necessária avaliação e possível ajuste na dose.

Efeitos colaterais

Como qualquer medicamento, a niclosamida pode causar efeitos colaterais, embora nem todas as pessoas os apresentem. Os efeitos mais comuns incluem náuseas, vômitos, diarreia, dor abdominal e falta de apetite. Geralmente, esses sintomas são leves e transitórios, desaparecendo com o uso contínuo do medicamento.

É importante ressaltar que o uso crônico ou abusivo da niclosamida pode levar a irritações gastrointestinais mais intensas, podendo ocasionar diarreia severa e desequilíbrio eletrolítico. Nesses casos, é fundamental procurar um médico para avaliação e possível suspensão do tratamento.

Quando não é indicada

A niclosamida não é indicada para pessoas que apresentem hipersensibilidade conhecida a qualquer componente do medicamento. Além disso, deve-se ter cautela em relação ao seu uso em pacientes com doenças hepáticas graves ou em mulheres grávidas ou amamentando, pois não existem estudos suficientes que comprovem a segurança do uso nesses casos.

Pessoas com histórico de alergia ou reações adversas graves a medicamentos similares também devem evitar o uso da niclosamida. É sempre importante consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento com essa substância, a fim de garantir a eficácia e segurança do medicamento para cada caso específico.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp