Lipoescultura gessada: o que é, como é feita e quando evitar

A lipoescultura gessada é um procedimento estético que utiliza uma técnica de modelagem corporal, com a aplicação de cremes e bandagens gessadas, ajudando na redução de medidas e na eliminação de toxinas. É contraindicada para gestantes, lactantes, pessoas com problemas cardíacos e circulatórios.

Como é feita

A lipoescultura gessada é um procedimento estético que visa modelar o corpo, eliminando gorduras localizadas e tonificando a pele. Diferente da cirurgia de lipoaspiração, que é invasiva, a lipoescultura gessada é uma técnica não cirúrgica e sem uso de agulhas.

O processo tem início com a aplicação de um creme lipolítico na área desejada, que contém componentes capazes de quebrar as células de gordura. Em seguida, uma manta gessada é aplicada sobre o creme, proporcionando um efeito de compressão que permite uma maior eficácia do produto.

A manta gessada irá secar e formar uma espécie de “gesso” sobre a pele, que deverá ser mantido por algumas horas. Esse gesso ajuda a potencializar a queima de gordura, além de promover uma drenagem linfática, auxiliando na eliminação de toxinas e na redução de medidas.

Após a secagem completa, a manta gessada é removida e a área tratada é massageada com movimentos específicos para estimular a circulação sanguínea e potencializar os resultados. O procedimento completo dura aproximadamente 90 minutos, variando de acordo com a área tratada.

Como melhorar os resultados

Para obter os melhores resultados com a lipoescultura gessada, é importante adotar alguns cuidados. É indicado manter uma alimentação equilibrada e praticar atividades físicas regularmente, para potencializar a queima de gordura e manter a tonificação muscular.

Além disso, é necessário beber bastante água e evitar o consumo de bebidas alcoólicas durante o período de tratamento, pois a hidratação é essencial para a eficácia do procedimento. A água ajuda na eliminação de toxinas e colabora para a melhora da aparência da pele.

A frequência das sessões também influencia nos resultados. Normalmente, são recomendadas 10 sessões, realizadas de uma a duas vezes por semana. No entanto, o número de sessões pode variar de acordo com a necessidade de cada paciente.

Quem não deve fazer o tratamento

Embora seja um procedimento seguro, a lipoescultura gessada não é indicada para todas as pessoas. Existem alguns casos em que o tratamento deve ser evitado, para evitar possíveis complicações.

Pacientes com problemas de circulação sanguínea, como varizes e trombose, não devem realizar a lipoescultura gessada, pois a compressão pode agravar essas condições. Além disso, pessoas com doenças de pele, como dermatite ou psoríase, também devem evitar o procedimento.

Grávidas e lactantes também não devem realizar a lipoescultura gessada, pois os produtos utilizados durante o tratamento podem ter efeitos desconhecidos sobre a gestação e o bebê.

É importante ressaltar que, antes de iniciar qualquer procedimento estético, é fundamental consultar um profissional qualificado. Ele irá avaliar seu histórico de saúde e indicar se a lipoescultura gessada é adequada para você, levando em consideração suas particularidades.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp