Anisocitose: o que é, como identificar e o que significa o resultado

Anisocitose é uma alteração sanguínea que se manifesta pela presença de glóbulos vermelhos de tamanhos diferentes. Detectada através de exames laboratoriais, o resultado indica um desequilíbrio na produção dessas células sanguíneas.

Anisocitose: o que é, como identificar e o que significa o resultado

Como identificar

A anisocitose é uma alteração presente nos resultados de um hemograma, indicando a variação no tamanho das células sanguíneas, principalmente dos glóbulos vermelhos. Para identificar essa condição, é necessário analisar os resultados dos exames laboratoriais, que incluem a contagem de células sanguíneas, a concentração de hemoglobina e a determinação do volume corpuscular médio (VCM).

Na análise das células sanguíneas, o principal exame a ser considerado é o esfregaço de sangue periférico, no qual um microscopista experiente examina as células em uma lâmina de vidro. Esse exame permite a observação das características morfológicas das células sanguíneas, incluindo o tamanho e a forma. Além disso, a contagem e classificação das células sanguíneas são realizadas em um equipamento automatizado chamado analisador hematológico.

Para identificar a anisocitose, é importante avaliar o valor do VCM. Esse parâmetro é calculado pelo volume médio dos glóbulos vermelhos no sangue. Quando o VCM está fora da faixa de referência, indica a presença de anisocitose. Valores abaixo da faixa de referência representam microcitose, indicando células sanguíneas menores do que o normal, enquanto valores acima indicam macrocitose, ou seja, células sanguíneas maiores do que o normal.

O que significa o resultado

O diagnóstico de anisocitose indica que há variação no tamanho das células sanguíneas. Essa variação pode ter diferentes causas e implicações clínicas. É importante ressaltar que a anisocitose não é uma doença, mas sim uma manifestação de alterações nas células sanguíneas que podem estar relacionadas a diversos problemas de saúde.

Quando há anisocitose significativa, com aumento ou diminuição considerável no tamanho das células sanguíneas, pode ser um indicativo de condições subjacentes, como anemias, deficiências nutricionais, doenças crônicas, infecções, disfunções da medula óssea, entre outras.

A avaliação conjunta dos valores dos glóbulos vermelhos, do VCM e de outros parâmetros hematológicos é essencial para diagnosticar e determinar a gravidade da anisocitose. Em alguns casos, podem ser necessários exames complementares para identificar a causa subjacente, como dosagens de ferro, vitamina B12, ácido fólico, entre outros.

Além disso, é importante destacar que o resultado do exame de anisocitose deve sempre ser interpretado por um médico especialista, como um hematologista, para que seja possível determinar a causa e o tratamento adequado. A análise precisa dos resultados do hemograma é fundamental para um diagnóstico correto e para a indicação das medidas terapêuticas necessárias.

Em resumo, a anisocitose é uma alteração no tamanho das células sanguíneas, principalmente dos glóbulos vermelhos, que pode indicar a presença de diversas condições clínicas. A identificação da anisocitose ocorre por meio do exame do esfregaço de sangue periférico e da análise dos valores do VCM. O resultado do exame, por sua vez, deve ser interpretado por um médico especialista, que determinará a causa e o tratamento adequado para a situação em questão.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp