Amamentar na gravidez: é possível?

A amamentação durante a gravidez é um assunto que suscita dúvidas e curiosidade. Saiba mais sobre essa prática e seus possíveis impactos na saúde.

Amamentar na gravidez: é possível?

Como amamentar na gravidez

Amamentar durante a gravidez, também conhecida como tandem nursing, é o ato de oferecer o peito para dois bebês em momentos diferentes. Essa prática pode ser considerada uma opção para algumas mães que desejam continuar a amamentação mesmo estando grávidas. Para conseguir amamentar na gravidez, algumas medidas podem ser adotadas:

1. Mantenha-se hidratada: Beber uma quantidade adequada de água é essencial para manter a produção de leite. Durante a gravidez, é importante aumentar a ingestão de líquidos para suprir as necessidades do bebê que está sendo gerado e também para manter a produção de leite suficiente para o filho mais velho.

2. Nutrição adequada: Alimentar-se de forma balanceada e saudável é fundamental tanto durante a gravidez quanto durante a amamentação. Certifique-se de consumir alimentos ricos em nutrientes, como frutas, legumes, proteínas e carboidratos, para suprir as necessidades nutricionais de ambos os bebês.

3. Mantenha um ritmo adequado de amamentação: É possível amamentar na gravidez desde que a mãe esteja se sentindo confortável com a demanda de amamentação do filho mais velho. Algumas mães podem sentir desconforto ou se cansar mais facilmente devido às mudanças hormonais da gravidez. Caso seja necessário, reduzir a frequência das mamadas ou limitar a duração das sessões pode ajudar a aliviar esses desconfortos.

Contraindicações da amamentação na gravidez

Apesar de ser possível amamentar na gravidez, essa prática não é indicada para todas as mulheres. Alguns casos em que a amamentação na gravidez é contraindicada incluem:

1. Risco de parto prematuro: Mulheres que já tiveram histórico de parto prematuro devem evitar amamentar durante a gravidez. A sucção do bebê mais velho pode estimular contrações uterinas e aumentar o risco de um parto prematuro.

2. Complicações durante a gravidez: Se a mãe estiver enfrentando algum problema de saúde durante a gravidez, como placenta prévia ou crescimento restrito do feto, o médico pode desaconselhar a continuação da amamentação, pois a sucção do bebê mais velho pode causar desconforto ou complicações adicionais.

3. Exaustão ou desconforto: Algumas mulheres podem sentir-se cansadas ou desconfortáveis ​​ao amamentar durante a gravidez, devido às mudanças hormonais e às demandas físicas do corpo. Nestes casos, o descanso e o autocuidado devem ser priorizados, e a amamentação pode ser interrompida até que a mãe se sinta confortável novamente.

Em suma, amamentar na gravidez é possível, desde que a mãe esteja confortável e saudável para fazê-lo. É importante levar em consideração as necessidades e demandas de ambos os bebês, bem como buscar orientação médica caso surjam quaisquer preocupações durante esse período. Lembrando que cada mulher é única e é preciso respeitar suas escolhas e limitações.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp