9 sintomas de prolapso da válvula mitral

O prolapso da válvula mitral pode causar sintomas como palpitações, fadiga, falta de ar, dor no peito, tonturas, tosse, ansiedade, sudorese e desmaios.

Principais sintomas

O prolapso da válvula mitral é uma condição cardíaca na qual a válvula mitral não fecha corretamente, permitindo o refluxo do sangue. Essa condição geralmente é assintomática e não requer tratamento, no entanto, em alguns casos, podem surgir sintomas que indicam a necessidade de intervenção médica.

1. Dor no peito: Uma das manifestações mais comuns do prolapso da válvula mitral é a dor no peito, também conhecida como angina. Essa dor geralmente é descrita como uma sensação de aperto ou pressão no peito, podendo ser confundida com um ataque cardíaco. É importante procurar um médico para avaliação, especialmente se a dor for intensa ou prolongada.

2. Palpitações: Muitas pessoas com prolapso da válvula mitral relatam sentir seu coração batendo de maneira irregular ou acelerada. As palpitações podem ser percebidas como uma sensação de salto no peito ou como se o coração estivesse batendo de maneira mais intensa. Se as palpitações forem acompanhadas por outros sintomas, como falta de ar ou tontura, é necessário buscar atendimento médico.

3. Falta de ar: A presença de prolapso da válvula mitral pode levar ao acúmulo de sangue nos pulmões, causando falta de ar ou dificuldade para respirar. Essa sensação pode ocorrer em atividades físicas leves ou até mesmo em repouso. Se a falta de ar for constante e interferir nas atividades diárias, é importante procurar um médico para avaliação.

4. Fadiga: A fadiga é um sintoma comum em diversas condições cardíacas, incluindo o prolapso da válvula mitral. Sentir-se constantemente cansado, mesmo após um bom período de descanso, pode indicar a necessidade de avaliação médica. A fadiga relacionada ao prolapso da válvula mitral pode ser decorrente da diminuição da quantidade de oxigênio que chega ao organismo devido ao refluxo sanguíneo.

Como confirmar o diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico de prolapso da válvula mitral, o médico pode solicitar exames específicos para avaliar a função cardíaca e a estrutura das válvulas cardíacas.

1. Ecocardiograma: O ecocardiograma é o principal exame para diagnosticar o prolapso da válvula mitral. Ele utiliza ondas sonoras para criar imagens detalhadas do coração, permitindo avaliar o funcionamento das válvulas e a circulação sanguínea. Esse exame é indolor e não invasivo, sendo considerado seguro e eficaz para o diagnóstico da condição.

2. Eletrocardiograma: O eletrocardiograma registra a atividade elétrica do coração, podendo detectar alterações que podem indicar a presença de prolapso da válvula mitral. Esse exame é rápido e indolor, sendo amplamente utilizado na avaliação cardíaca.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o prolapso da válvula mitral geralmente é direcionado para o alívio dos sintomas e o controle de complicações. Na maioria dos casos, não são necessárias medidas invasivas ou cirúrgicas, e o tratamento é baseado em cuidados médicos e mudanças no estilo de vida.

1. Medicamentos: Alguns medicamentos podem ser prescritos para controlar os sintomas relacionados ao prolapso da válvula mitral. Os medicamentos podem incluir betabloqueadores para controlar a frequência cardíaca, medicamentos antiarrítmicos para normalizar o ritmo cardíaco e vasodilatadores para melhorar o fluxo sanguíneo.

2. Mudanças no estilo de vida: Uma dieta equilibrada, prática regular de atividade física e a redução do consumo de álcool e cafeína podem ser benéficas para pessoas com prolapso da válvula mitral. Além disso, é importante evitar situações de estresse excessivo e adotar práticas de relaxamento, como técnicas de respiração e meditação.

Em resumo, o prolapso da válvula mitral pode ser assintomático na maioria dos casos, porém, quando surgem sintomas como dor no peito, palpitações, falta de ar e fadiga, é importante buscar avaliação médica. O diagnóstico é confirmado por meio de exames como ecocardiograma e eletrocardiograma. O tratamento é voltado para o controle dos sintomas e a prevenção de complicações, podendo incluir o uso de medicamentos e mudanças no estilo de vida. É fundamental seguir as orientações médicas e manter um acompanhamento regular para garantir a saúde cardiovascular.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp