RMRJ gerou mais de 93 mil empregos em setembro, segundo Caged

Os municípios com maiores números de contratação no período foram Rio de Janeiro (64.320), Niterói (6.242) e Duque de Caxias (5.403)

Dados recentes divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) revelam que as cidades da região metropolitana do Rio de Janeiro criaram 93.192 novos postos de trabalho em setembro. Considerando as 79.760 demissões no mesmo período, o saldo positivo foi de 13.432 empregos.

Comparado a agosto, quando houve 100.985 contratações, houve uma diminuição de 7,71% nas vagas criadas, enquanto as demissões (87.238) caíram aproximadamente 8,57%.

Dos contratados em setembro, 58,74% eram homens e 41,26% eram mulheres, predominantemente trabalhadores de 30 a 39 anos (26,93%) , seguidos por jovens entre 18 e 24 anos (25,02%). Quanto à escolaridade, 66,22% possuíam Ensino Médio Completo, 11,86% Ensino Superior Completo e 6,36% Ensino Fundamental Completo.

empregos

Os municípios com maiores números de contratação no período foram Rio de Janeiro (64.320), Niterói (6.242) e Duque de Caxias (5.403). Setores de serviços, comércio e indústria são os principais empregadores na região em setembro.

Os municípios da região metropolitana conta com Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Japeri, Magé, Maricá, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Paracambi, Petrópolis, Queimados, Seropédica, São Gonçalo, São João de Meriti, Tanguá, Cachoeiras de Macacu, Rio Bonito e Rio de Janeiro.

Trabalho Temporário

O Caged revela que, no Brasil, o total de temporários foi de 67.658 pessoas. Matheus Santos, gerente regional da Employer no Rio de Janeiro, enfatiza o importante papel do emprego temporário na economia, destacando que proporciona uma fonte de renda temporária para os trabalhadores, impulsionando a economia local.

Ele também observa que o emprego temporário oferece experiência diversificada, aumentando as oportunidades de emprego a longo prazo para aqueles que se destacam durante o trabalho temporário.

A Associação Brasileira do Trabalho Temporário (ASSERTTEM) prevê a criação de cerca de 470 mil vagas temporárias no 4º trimestre de 2023, um aumento de 5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo a associação, as contratações devem ser impulsionadas principalmente pelo setor industrial (55%), seguido pelos setores de serviços (30%) e comércio (15%).

Direitos do Trabalhador Temporário     

Na modalidade temporária, o trabalhador tem anotação em carteira e os direitos assegurados pela legislação 6.019/1974. Dentre os direitos, estão inclusos pagamento de horas extras, descanso semanal remunerado, 13º salário e férias proporcionais ao período trabalhado. Ele recebe 8% dos seus proventos a título de FGTS e o período como temporário conta como contribuição para a aposentadoria.     

Vale ressaltar que na legislação, o trabalhador temporário pode ser contratado por até 180 dias, com possibilidade de prorrogação por mais até 90 dias. A efetivação pode acontecer a qualquer momento desse período. Junto à Previdência, o trabalhador temporário também tem todos os direitos garantidos, desde que se respeite a carência mínima exigida para o pagamento dos benefícios.    

Sobre a Employer Recursos Humanos     

Uma das maiores empresas de RH do país, a Employer que oferece serviços e tecnologia para Recursos Humanos possui mais de 35 filiais posicionadas estrategicamente no Brasil. A empresa atende algumas das maiores companhias do Brasil e do mundo, que buscam soluções eficientes e de alta tecnologia para o setor, com o objetivo de simplificar a rotina do RH.  

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp