Maria Leusa Munduruku e a luta contra o garimpo ilegal

Autores: .

Nos últimos anos, Maria Leusa Munduruku tem se destacado como um dos símbolos da luta contra o garimpo ilegal em territórios indígenas no Brasil.

Coordenadora da Associação de Mulheres Wakoborũn, ela virou alvo de ameaças constantes por protestar incisivamente contra a atividade. A Terra Indígena Munduruku (PA), onde nasceu e cresceu, é atualmente a segunda mais atingida pelo garimpo em todo o país, segundo levantamento do MapBiomas.

As intimidações recrudesceram durante o governo de Jair Bolsonaro. Em maio de 2021, a casa onde Maria Leusa morava com a família chegou a ser incendiada por indígenas Munduruku pró-garimpo, conforme apontaram investigações da Polícia Federal. 

A jovem comunicadora Cleuniza Munduruku vive na mesma aldeia que a liderança indígena. Na videorreportagem produzida para a Agência Pública dentro do projeto Microbolsas Indígenas, ela traz um olhar sensível sobre como as ameaças e a luta contra o garimpo afetaram diversos aspectos da vida de Maria Leusa.

Índice do Conteúdo

Conheça a autora

Cleuniza Munduruku sem fundo 2

Cleuniza Munduruku

Cleuniza Munduruku é uma jovem comunicadora que integra o Coletivo Audiovisual Wakoborũn e vive na Terra Indígena Munduruku, no Alto Tapajós, Pará. Junto a outros jovens de seu povo, Cleuniza utiliza o audiovisual como ferramenta para fortalecer sua cultura tradicional e a luta contra as ameaças ao território, como o garimpo ilegal. Sawe!

Fonte: Via apublica.org

fonte artigo

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp