Onde Investir com a Queda do Dólar: Ações Americanas ou BDRs?

Com a recente queda do dólar, muitos investidores estão considerando oportunidades no mercado de ações dos Estados Unidos.

No entanto, nem todos têm conhecimento sobre como investir em renda variável, seja diretamente em ações americanas ou as alternativas disponíveis, como os Brazilian Depositary Receipts (BDRs).

Neste artigo, vamos explorar essas opções e entender como aproveitar esse cenário para diversificar seus investimentos.

Onde Investir com a Queda do Dólar: Ações Americanas ou BDRs?

Stocks – As Ações Americanas

Investir diretamente em ações americanas pode ser uma estratégia atraente para os investidores que buscam exposição ao mercado dos EUA e desejam escolher empresas específicas para compor sua carteira. A Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) e a Bolsa de Valores NASDAQ são algumas das maiores e mais conhecidas bolsas do mundo, listando empresas de diversos setores, como tecnologia, saúde, finanças, entre outros.

Para investir em ações americanas, é necessário abrir uma conta em uma corretora de valores no exterior. Hoje existem contas totalmente em português e que permitem que você compre e venda ações dessas empresas listadas nas bolsas dos EUA como Microsoft, Tesla e Apple.

Compare as melhores contas no exterior e verifique qual a mais apropriada para você. Existem contas que tem corretagem zero para compra e venda de ações no exterior e são apropriadas principalmente para quem está iniciando e não quer pagar corretagem.

Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Uma alternativa mais simples e acessível para investir em ações americanas é através dos Brazilian Depositary Receipts (BDRs). Os BDRs são certificados emitidos no Brasil que representam ações de empresas estrangeiras negociadas no exterior. No caso de BDRs de ações americanas, eles representam ações de empresas listadas nas bolsas dos EUA.

A vantagem dos BDRs é que eles são negociados na B3, a Bolsa de Valores brasileira, e cotados em reais. Isso significa que você não precisa abrir uma conta no exterior para investir em ações americanas, simplificando o processo de investimento e eliminando a necessidade de lidar com questões cambiais.

Então com a sua conta em uma corretora brasileira, você compra BDRs igual você compraria ações de empresas brasileiras ou Fundos Imobiliários, utilizando o home broker (ou outra plataforma disponível na sua corretora).

A Importância da Diversificação em Renda Variável

Renda variável é uma classe de ativos que inclui investimentos em ações brasileiras, ações americanas, BDRs, fundos imobiliários e outros ativos cujo retorno não é previsível. Ao investir em renda variável, os retornos podem ser significativamente maiores em comparação com investimentos em renda fixa, como títulos do governo ou CDBs. No entanto, a renda variável também traz consigo maior volatilidade e risco.

A diversificação em renda variável é fundamental para reduzir o risco de perdas significativas. Ao distribuir o capital em diferentes ações ou fundos, você dilui os riscos associados a um único ativo. Por exemplo, se você tiver uma carteira com ações de empresas de setores diversos, uma eventual queda em um setor específico pode ser compensada por ganhos em outras áreas.

Construindo uma Carteira de Investimentos Diversificada

A construção de uma carteira diversificada envolve alguns passos importantes:

Defina Seus Objetivos Financeiros: Antes de começar a investir, é fundamental ter clareza sobre seus objetivos financeiros. Determine se você está buscando crescimento a longo prazo, renda passiva ou preservação do capital.

Caso você precise do dinheiro no curto prazo, alguns investimentos de longo prazo não serão apropriados, por travar o seu dinheiro ou ter um risco maior. Renda variável como as Stocks e BDRs citadas neste texto devem ser investimentos pensados para o longo prazo.

Avalie Seu Perfil de Risco: Entender seu perfil de risco é crucial para definir sua tolerância a perdas e a volatilidade dos investimentos. Investidores mais conservadores tendem a ter uma maior parcela de investimentos em renda fixa, enquanto investidores mais agressivos podem ter uma maior exposição à renda variável.

Vamos com um exemplo: Um perfil conservador pode definir 90% em Renda Fixa e 10% em Renda Variável enquanto um perfil mais arrojado pode ficar confortável com a divisão 50%/50%.

Além do seu apetite ao risco, considere o seu objetivo definido no passo anterior.

Diversifique em Diferentes Classes de Ativos: Para construir uma carteira diversificada, primeiramente defina a porcentagem de investimentos em cada área (renda fixa, renda variável) de acordo com o seu perfil de risco definido e seus objetivos.

Uma vez definida, aloque recursos nas diferentes classes de ativos, de renda fixa (CDB, LCI, Tesouro Direto) e renda variável (fundos imobiliários, Stocks, BDRs, ações de empresas brasileiras, etc.)

Diversifique em Diferentes Setores: Dentro da renda variável, escolha ações de empresas de setores variados. Por exemplo, você pode ter ações de empresas de tecnologia, saúde, finanças, energia, entre outros.

Considere Diversificação Geográfica: Além da diversificação setorial, considere também investir em empresas de diferentes países, aproveitando oportunidades em diferentes regiões do mundo. Ao investir em empresas americanas (em BDRs ou Stocks) você também diversifica de forma geográfica se comparada a investimento em ações de empresas brasileiras apenas.

Rebalanceie Regularmente: Conforme o desempenho dos ativos em sua carteira varia, é importante realizar ajustes periódicos para manter a alocação alinhada aos seus objetivos financeiros.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp