Haddad comemora melhora da perspectiva do Brasil pela S&P e diz que ‘falta o BC’

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, comemorou a decisão da agência de classificação de risco S&P Global Rating de revisar para “positiva” a perspectiva da nota do Brasil e aproveitou o momento para fazer um aceno favorável ao Congresso Nacional e ao Judiciário, ao mesmo tempo em que disse que “está faltando o Banco Central”.

Em uma entrevista a jornalistas concedida logo após a divulgação da decisão, Haddad se cercou de seu time de secretários e adotou um tom conciliador, dividindo os louros com o Legislativo e o Judiciário, que recentemente proporcionaram vitórias ao ministro.

O Congresso já aprovou medidas que elevam a arrecadação do governo e, no mais expressivo dos avanços, a Câmara avalizou, com mudanças, o novo arcabouço fiscal apresentado pela equipe econômica. O Judiciário, por sua vez, decidiu em favor da Fazenda Nacional em temas que envolvem a disputa de bilhões de reais.

“Isso não é possível a partir só do Executivo. A gente tem a confiança do presidente Lula, o apoio, mas sem a compreensão do presidente Arthur Lira, do presidente [Rodrigo] Pacheco e também do STJ [Superior Tribunal de Justiça], do STF [Supremo Tribunal Federal], que têm se sensibilizado com a agenda da Fazenda, da área econômica em geral, nós não íamos ter essa sinalização”, disse Haddad, exaltando a “harmonia entre os Poderes”.

“Tem muito trabalho pela frente, isso é só um começo, Mas eu penso que se nós mantivermos o ritmo de trabalho das duas Casas e do Judiciário, eu quero crer que nós vamos conseguir atingir os nossos objetivos”, acrescentou.

Ao Banco Central, coube uma espécie de cobrança. Haddad foi questionado sobre o potencial de a decisão da S&P contribuir para a queda da taxa básica de juros, a Selic, hoje em 13,75%. Em tom suave, o ministro respondeu dando a entender que o BC está isolado em sua posição atual.

“Eu falava de harmonização há pouco, os três Poderes se harmonizando. Está faltando aí o Banco Central se somar a esse esforço. Mas eu quero crer que nós estejamos prestes a ver isso acontecer”, disse o ministro.

Autor(es): IDIANA TOMAZELLI / FOLHAPRESS

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp