Foliões celebram volta do carnaval do Rio com o bloco Céu na Terra

Simpatia é Quase Amor também desfila hoje em Ipanema

Foliões celebram volta do carnaval do Rio com o bloco Céu na Terra
© Tânia Rêgo/Agência Brasil

Apontado por foliões como um dos blocos mais coloridos do Rio de Janeiro, o Céu da Terra tomou as ruas de Santa Teresa nesta manhã (11). O fluxo de pessoas fantasiadas pelas ladeiras do bairro localizado na região central da cidade começou cedo. A concentração teve início às 6h30 e, com o tempo, o bloco foi se encorpando com a chegada daqueles que levantaram da cama mais tarde.ebcebc

“Aqui, do pobre ao desembargador, está todo mundo igual. É música do povo para o povo. Tem violino, quatro tubas, chocalho”, disse a médica Natália Aires. Ela e o marido são figurinhas carimbadas no Céu na Terra e, após 2 anos sem desfile devido à pandemia da covid-19, a expectativa era grande. “Dá vontade de chorar. Isso aqui é vida. É a expressão do povo”, acrescentou.

Rio de Janeiro (RJ), 11/02/2023 - Desfile do bloco carnavalesco Céu na Terra pelas ruas do bairro de Santa Teresa, zona sul da cidade. (Foto:Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Desfile do bloco Céu na Terra pelas ruas do bairro de Santa Teresa – Tânia Rêgo/Agência Brasil

O professor de história Jerônimo Duque Estrada também exaltou a retomada da folia. “Sou ateu, mas sou crente do carnaval. Tenho uma filha que ficou 2 anos sem carnaval. Ela deixou de construir nesse período um alter-ego carioca. Então é uma felicidade imensa poder estar de volta. O carnaval constrói o ethos dessa cidade. O Rio não é o mesmo sem o carnaval”, disse.

O bloco Céu na Terra foi fundado em 2001 e é atualmente um dos mais tradicionais da folia carioca. O cortejo é marcado pela presença de bonecos gigantes de inspiração popular, porta-estandarte e artistas em pernas de pau, além de adereços com imagens do bondinho de Santa Teresa. Os foliões com fantasias criativas se animam embalados por marchinhas, sambas, maxixes e frevos tocados por uma banda formada com instrumentos de percussão e de metais. Além de músicas autorais, ganharam versões carnavalescas diversas canções famosas como Odara, de Caetano Veloso, e Maria Maria, de Milton Nascimento.

“O Céu na Terra é um bloco vanguardista na recuperação do carnaval de rua carioca. Durante uma certa época, você não tinha blocos tocando marchinha, com muitas pessoas fantasiadas. O Céu na Terra ajudou a recuperar isso. Para mim, sem o Céu na Terra não há carnaval. É um bloco muito raiz”, disse Jerônimo.

Com a experiência de quem toca na banda de diversos blocos, a esteticista Daniele Castro disse que o Céu na Terra faz um dos cortejos mais bonitos do carnaval carioca. Ela ressalta que o esforço dos foliões para marcarem presença é recompensado. “Céu na Terra é perrengue. Bloco em Santa Teresa é perrengue. Mas a gente ama muito. E essa retomada é pura felicidade. Estou revendo amigos que já não moram mais aqui e vieram para curtir com a gente”.

Programação

Rio de Janeiro (RJ), 11/02/2023 - Desfile do bloco carnavalesco Céu na Terra pelas ruas do bairro de Santa Teresa, zona sul da cidade. (Foto:Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Desfile do bloco Céu na Terra pelas ruas do bairro de Santa Teresa – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Além do Céu na Terra, a programação oficial da folia carioca lista mais 47 blocos se apresentando neste sábado. Outra opção para foliões que buscam cortejos tradicionais ligados à história do carnaval da cidade é o Simpatia é Quase Amor. Entre o final da tarde e o início da noite, o bloco agita o bairro de Ipanema, na zona sul da capital fluminense.

A concentração está prevista para as 14h, com o desfile se iniciando às 16h e se encerrando às 19h. Mais antigo que o Céu na Terra, o bloco Simpatia é Quase Amor se apresentou pela primeira vez em 1985. A combinação de amarelo e lilás marca seus desfiles. Segundo o folclore popular alimentado pelos foliões, as cores foram escolhidas inspiradas na embalagem do comprimido Engov, usado para prevenir ressacas.

Dona Zica da Mangueira e o fundador da Banda de Ipanema, Albino Pinheiro, são padrinhos do Simpatia é Quase Amor, que conta ainda com o carinho de outros nomes da cena artística carioca. Quando completou 15 anos, foi gravado um CD com todos os 15 sambas lançados pelo bloco, cantados por nomes como João Nogueira, Martinho da Vila, Beth Carvalho, Monarco e Elza Soares. Na abertura do trabalho, o compositor Aldir Blanc gravou um depoimento, em forma de samba.

Depois de 2 anos sem desfilar devido à pandemia, o Simpatia é Quase Amor volta a realizar seus dois cortejos. Além do programado para hoje, o segundo acontecerá no domingo (19) de carnaval, no mesmo local e horário.

Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2023-02/folioes-celebram-volta-do-carnaval-do-rio-com-o-bloco-ceu-na-terra

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp