Certolizumab Pegol (Cimzia)

O Certolizumab Pegol (Cimzia) é uma medicação usada no tratamento de doenças inflamatórias, como a artrite reumatoide e a doença de Crohn. Ele atua inibindo a ação de certas substâncias responsáveis pela inflamação, aliviando os sintomas e melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

Preço

O Certolizumab Pegol, comercializado com o nome Cimzia, é um medicamento biológico utilizado no tratamento de diversas doenças autoimunes, como a artrite reumatoide, a espondilite anquilosante, a psoríase em placas e a doença de Crohn. Por ser um medicamento biológico, produzido a partir de organismos vivos, seu preço acaba sendo mais elevado do que os medicamentos convencionais. O valor médio mensal de Cimzia varia de acordo com a dosagem e a periodicidade do tratamento, geralmente variando entre R$ 4.000 e R$ 8.000. É importante ressaltar que esse valor pode sofrer variações de acordo com a região do país e as políticas de reembolso de cada plano de saúde.

Para que serve

O Certolizumab Pegol, comercializado como Cimzia, é um medicamento utilizado no tratamento de diversas doenças autoimunes. Sua principal indicação é para o tratamento de doenças inflamatórias crônicas, como a artrite reumatoide, a espondilite anquilosante e a psoríase em placas. Além disso, também é indicado para o tratamento da doença de Crohn, uma condição inflamatória que afeta o sistema digestivo.

Como tomar

A forma de administração do Certolizumab Pegol, ou Cimzia, varia de acordo com a doença a ser tratada. Geralmente, o medicamento é administrado por via subcutânea (injeção) e a frequência das doses depende da indicação médica e da resposta do paciente ao tratamento. No caso do tratamento da artrite reumatoide e da espondilite anquilosante, a dose recomendada é de 400 mg, dividida em duas injeções de 200 mg, administradas a cada duas semanas. Já no tratamento da psoríase em placas, a dose recomendada é de 400 mg no início do tratamento, seguida de uma dose de 200 mg a cada duas semanas. No caso da doença de Crohn, a dose recomendada é de 400 mg, que pode ser administrada inicialmente, seguida de uma dose de 200 mg a cada duas semanas. É importante ressaltar que a posologia pode variar de acordo com o protocolo médico estabelecido para cada paciente.

Principais efeitos colaterais

Como todos os medicamentos, o Certolizumab Pegol, comercializado como Cimzia, pode causar efeitos colaterais. Os efeitos colaterais mais comuns incluem reações no local da injeção, como dor, vermelhidão e inchaço. Além disso, também podem ocorrer sintomas como náuseas, diarreia, dores abdominais, dores de cabeça e infecções do trato respiratório superior. Em casos mais raros, foram relatados efeitos colaterais graves, como reações alérgicas, infecções graves, tuberculose e câncer. É importante destacar que a ocorrência desses efeitos colaterais varia de acordo com o paciente e a dosagem utilizada, sendo fundamental o acompanhamento médico regular durante o tratamento.

Quem não deve tomar

O Certolizumab Pegol, comercializado como Cimzia, é contraindicado para algumas pessoas. Pacientes com infecções ativas graves, como tuberculose, não devem fazer uso desse medicamento. Além disso, pessoas com alergia conhecida ao Certolizumab Pegol, a outros medicamentos biológicos ou a qualquer componente da fórmula também não devem utilizar o Cimzia. É importante ressaltar que a avaliação médica é fundamental antes de iniciar o tratamento com esse medicamento, uma vez que cada paciente possui características individuais que devem ser consideradas para garantir a segurança e a eficácia do tratamento.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp