Síndrome do coração partido: o que é, sintomas, causas e tratamento

A Síndrome do coração partido simula um infarto, com sintomas como dor no peito e falta de ar, geralmente causada por estresse emocional intenso. O tratamento visa aliviar os sintomas.

**Síndrome do coração partido: o que é, sintomas, causas e tratamento**

A Síndrome do coração partido, cientificamente denominada cardiomiopatia de Takotsubo, é uma condição que mimetiza um ataque cardíaco, porém, sem as obstruções arteriais coronárias características desta condição. Esta síndrome se manifesta geralmente após situações de estresse emocional ou físico intenso, daí o nome popular. Apesar de temporária, esta condição requer diagnóstico e tratamento adequados para evitar complicações. Neste artigo, vamos explorar profundamente o que é a Síndrome do coração partido, seus sintomas, causas e tratamentos, além de como confirmar o diagnóstico.

Índice do Conteúdo

Como confirmar o diagnóstico

Confirmar o diagnóstico da Síndrome do coração partido exige uma abordagem meticulosa, dado que os sintomas podem se assemelhar aos de um ataque cardíaco comum. Inicialmente, o médico realiza uma análise detalhada do histórico médico do paciente, seguida de um exame físico. Questionamentos sobre eventos de estresse recentes também são pertinentes, pois podem fornecer indícios importantes sobre a possível causa da condição.

A etapa seguinte envolve o uso de exames de imagem e testes cardíacos para avaliar a estrutura e a função do coração. O ecocardiograma emerge como uma ferramenta indispensável neste processo, permitindo que os médicos visualizem o movimento anormal do ventrículo esquerdo, característico da Síndrome do coração partido. Esta anomalia é também conhecida como “apical ballooning”, devido à forma similar a um balão que o ventrículo assume durante a contração.

Além do ecocardiograma, a realização de um eletrocardiograma (ECG) é crucial. Embora os resultados possam inicialmente sugerir um ataque cardíaco, a ausência de bloqueios típicos de artérias coronárias em procedimentos de angiografia pode ajudar a diferenciar a Síndrome do coração partido de um infarto agudo do miocárdio. Testes de sangue também são importantes, especialmente para medir níveis de enzimas cardíacas que podem aumentar similarmente a um ataque cardíaco, ainda que em menores proporções.

Em alguns casos, os médicos podem recorrer à ressonância magnética cardíaca para obter um diagnóstico mais preciso, permitindo uma visão mais detalhada do tecido cardíaco e ajudando a excluir outras condições que possam imitar os sintomas da Síndrome do coração partido.

A compilação dessas informações – histórico médico e de estresse, exames físicos, e resultados de testes de imagem e laboratoriais – é fundamental para confirmar o diagnóstico. Uma vez diagnosticada, a abordagem de tratamento pode ser adequadamente direcionada para aliviar os sintomas e evitar complicações, garantindo assim uma recuperação bem-sucedida e minimizando o risco de recorrência.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp