Acloridria: o que é, sintomas, causas e tratamento

Acloridria, ausência de ácido clorídrico no estômago, causa indigestão e fadiga. Origina-se de condições autoimunes ou infecções. Tratamento foca na causa subjacente.

A acloridria, uma condição médica menos conhecida, mas altamente significativa, refere-se à ausência total de ácido clorídrico (HCl) no suco gástrico do estômago. Esta condição pode afetar a digestão e a absorção de nutrientes, apresentando desafios distintos para quem a possui. Para compreender melhor a acloridria, é importante analisar seus sintomas, causas e possíveis tratamentos.

Principais sintomas

Os sintomas da acloridria podem variar amplamente, em grande parte porque a secreção adequada de ácido estomacal é crucial para várias funções digestivas. Um dos sinais mais comuns é a indigestão crônica, caracterizada por desconforto ou dor no abdômen superior. Outros sintomas notáveis incluem sensação de plenitude após uma refeição pequena, flatulência, náuseas e, ocasionalmente, vômitos. Devido à importância do ácido estomacal na absorção de nutrientes, alguns individuos podem apresentar deficiências nutricionais que se manifestam como anemia, perda de peso inexplicada ou fraqueza. A acloridria também pode aumentar o risco de infecções gastrointestinais, dado o papel do ácido clorídrico em neutralizar patógenos ingeridos.

Causas de acloridria

As causas da acloridria são variadas e frequentemente ligadas a outras condições médicas. Uma causa comum é a atrofia gástrica autoimune, uma condição onde o sistema imunológico ataca por engano as células gástricas produtoras de ácido. A presença prolongada da bactéria Helicobacter pylori no estômago também pode levar à acloridria, uma vez que a infecção por este patógeno pode causar atrofia das glândulas gástricas. Outras causas incluem o uso a longo prazo de inibidores da bomba de prótons, medicamentos prescritos para reduzir a produção de ácido estomacal, que, paradoxalmente, podem levar à diminuição ou à ausência de produção de ácido quando usados de forma prolongada. Além disso, condições genéticas raras e certas doenças endócrinas podem estar associadas à acloridria.

Como é feito o tratamento

O tratamento da acloridria usualmente visa abordar a causa subjacente da condição. Se a causa for o uso prolongado de inibidores da bomba de prótons, pode-se rever o regime de medicação sob supervisão médica. No caso de infecção por Helicobacter pylori, a erradicação da bactéria através de antibióticos pode melhorar os sintomas e, potencialmente, a produção de ácido estomacal. Quando a acloridria é devida a uma condição autoimune, a abordagem terapêutica pode envolver o tratamento da doença autoimune em si. Uma vez que a acloridria afeta a absorção de nutrientes, os pacientes podem necessitar de suplementação de vitaminas e minerais, especialmente a vitamina B12, ferro e cálcio. Adequar a dieta para facilitar a digestão e a absorção de nutrientes, bem como aconselhamento nutricional, também pode ser recomendado como parte do tratamento.

A seção seguinte inclui respostas para perguntas frequentes sobre a acloridria, compiladas com base nas consultas mais comuns feitas pelos usuários.

É possível recuperar completamente a produção de ácido estomacal após ser diagnosticado com acloridria? A possibilidade de restauração da produção de ácido estomacal depende significativamente da causa subjacente da acloridria. Em casos onde a condição é induzida por fatores reversíveis, como o uso de certos medicamentos, uma recuperação da função ácida pode ser possível. No entanto, para condições autoimunes ou atrofia gástrica avançada, a recuperação completa pode não ser possível, focando-se então no gerenciamento dos sintomas e na otimização da absorção de nutrientes.

A acloridria pode aumentar o risco de desenvolver câncer de estômago? A ausência de ácido no estômago pode contribuir para um ambiente propício ao desenvolvimento de certos tipos de câncer gástrico, especialmente em indivíduos com atrofia gástrica ou infecções crônicas por Helicobacter pylori. Por isso, o acompanhamento médico regular é essencial para monitorar quaisquer alterações que possam indicar um risco aumentado.

Quais alimentos devem ser evitados por quem tem acloridria? Indivíduos com acloridria devem priorizar uma dieta facilmente digerível e que minimize o desconforto gastrointestinal. Alimentos muito condimentados, ácidos ou difíceis de digerir, como carnes vermelhas pesadas, podem exacerbary os sintomas e devem ser consumidos com moderação ou evitados. A orientação de um nutricionista pode ser valiosa para elaborar um plano alimentar específico e adequado.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp