Terapia Cognitiva Comportamental: como é feita e quando é indicada

A Terapia Cognitiva Comportamental foca em identificar e modificar pensamentos e comportamentos disfuncionais, útil em transtornos de ansiedade e depressão.

Como é feita

A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) é uma abordagem psicoterapêutica focada no presente e estruturada para resolver problemas de maneira prática. O núcleo da TCC está em identificar e modificar pensamentos distorcidos e comportamentos não saudáveis. Durante a terapia, o terapeuta trabalha em colaboração com o paciente para ajudá-lo a entender suas crenças e atitudes e como elas influenciam suas emoções e comportamentos. A TCC se utiliza de técnicas como identificação de pensamentos automáticos, desafio de crenças irracionais, reestruturação cognitiva, treinamento em habilidades sociais, técnicas de relaxamento e exposição a situações temidas. O terapeuta atribui “tarefas de casa”, que permitem que o paciente aplique o aprendizado da terapia em situações da vida real.

Quando é indicada

A Terapia Cognitiva Comportamental é indicada para uma ampla gama de problemas psicológicos. Ela é particularmente eficaz em tratar distúrbios de ansiedade, como o transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico, fobias específicas, e também é amplamente usada para tratar a depressão. Além disso, a TCC mostra eficácia em problemas de saúde mental como o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtornos alimentares, abuso de substâncias, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), e problemas de comportamento como dificuldades de gestão da raiva. Esta terapia é recomendada para qualquer pessoa que esteja enfrentando desafios em suas vidas que se relacionem com pensamentos, emoções ou comportamentos disruptivos e que desejam uma abordagem prática para resolver esses problemas.

Distorções cognitivas mais comuns

As distorções cognitivas são padrões de pensamento tendenciosos ou irracionais que são comuns entre indivíduos que sofrem de problemas de saúde mental. Algumas das distorções mais comuns incluem:

– **Pensamento catastrófico**: Prever o pior cenário possível sem considerar resultados mais prováveis ou positivos.
– **Generalização excessiva**: Tirar conclusões gerais baseadas em um evento isolado.
– **Filtro mental**: Focar exclusivamente nos aspectos negativos de uma situação, ignorando os positivos.
– **Leitura mental**: Presumir saber o que os outros estão pensando sem evidências suficientes.
– **Personalização**: Atribuir a si mesmo a culpa por eventos externos fora de seu controle.
– **”Deveria” e “deveria ter feito”**: Manter um conjunto rígido de regras sobre como você e os outros devem agir.

O reconhecimento e o desafio dessas distorções são aspectos centrais da Terapia Cognitiva Comportamental, ajudando os pacientes a desenvolver uma visão mais equilibrada e menos distorcida de si mesmo, dos outros e do mundo ao seu redor.

Para desenvolver um artigo completo nos moldes solicitados, cada seção acima deverá ser expandida para atender ao limite de caracteres e abranger detalhes, exemplos clínicos, metodologias de intervenção específica e revisão de literatura relevante para aprofundar o entendimento do leitor.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp