Cisto na mama pode virar câncer?

Cistos mamários são bolsas de líquido e, geralmente, benignos. Embora não se transformem em câncer, seu acompanhamento é vital para saúde da mama.

Sintomas de cisto na mama

Os cistos mamários são bolsas cheias de líquido que se formam no tecido mamário. Na maioria das vezes, eles são benignos, ou seja, não são cancerígenos. A presença de um cisto na mama pode ser assintomática; no entanto, quando há sintomas, estes podem incluir uma massa palpável na mama, que pode ser acompanhada por dor ou desconforto ao toque.

Outro sintoma comum é a sensibilidade da região, que pode variar ao longo do ciclo menstrual, intensificando-se na semana que antecede a menstruação devido às mudanças hormonais. Os cistos também podem causar mudanças na textura da pele ou aparecimento de protuberâncias na região da mama, detectáveis ao autoexame ou exame clínico por um profissional da saúde.

Além disso, embora seja menos comum, alguns cistos podem levar ao aumento dos linfonodos na axila, devido à inflamação local. Este sintoma vale a pena ser investigado mais a fundo, já que o aumento dos linfonodos pode também ser indicativo de outras condições médicas.

Como é feito o diagnóstico

Para o diagnóstico de cistos na mama, o primeiro passo é uma consulta com um médico, que fará um exame físico e discutirá os sintomas. Dependendo da avaliação, pode-se encaminhar para exames de imagem como a mamografia, que é capaz de detectar anomalias na estrutura mamária, e a ultrassonografia, que é particularmente útil para distinguir cistos sólidos de cistos cheios de líquido.

Em alguns casos, principalmente se o cisto apresentar características atípicas ou se houver histórico familiar de câncer de mama, pode-se realizar uma biópsia. Este processo envolve a retirada de uma pequena amostra de tecido do cisto para análise laboratorial, que vai determinar se há células cancerígenas presentes ou não.

Além da biópsia, outros exames podem ser solicitados para avaliar a natureza do cisto e as condições da mama de forma mais ampla, como a ressonância magnética, que pode fornecer imagens detalhadas e ajudar a identificar características específicas de cistos ou outros tumores.

Quando o cisto na mama pode ser grave

Embora a maioria dos cistos mamários seja benigna e não evolua para o câncer, existem situações em que é necessário um acompanhamento mais cuidadoso. Quando o cisto apresenta mudanças em seu tamanho, forma, ou se torna dolorido e acompanhado de outros sintomas como vermelhidão ou retração da pele, é fundamental procurar avaliação médica.

Cistos com características atípicas ao exame de imagem ou aqueles que apresentam células anormais ou complexas após uma biópsia necessitam de uma investigação mais aprofundada. Tais cistos podem não ser cancerígenos, mas o risco de transformação maligna pode ser maior, o que justifica uma vigilância mais estrita.

Além disso, o histórico familiar de câncer de mama, presença de mutações genéticas conhecidas por aumentar o risco de câncer, como BRCA1 e BRCA2, ou uma história pessoal de outros tipos de câncer, são fatores que exigem uma observação mais cuidadosa de qualquer anomalia mamária, incluindo cistos.

Em suma, a possibilidade de um cisto na mama evoluir para um câncer é baixa, mas não impossível. Portanto, é crucial um acompanhamento médico regular, especialmente para aqueles com fatores de risco adicionais ou cistos com características preocupantes. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado de qualquer condição mamária são essenciais para um desfecho positivo.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp