Ácido deoxicólico: o que é, para que serve e como é feita a aplicação

O ácido deoxicólico é uma substância natural encontrada no corpo humano. Utilizado em procedimentos estéticos, auxilia na quebra de gordura localizada, especialmente no queixo. Sua aplicação é feita através de injeções localizadas, proporcionando resultados visíveis.

Ácido deoxicólico: para que serve?

O ácido deoxicólico é um composto natural que desempenha um papel importante no processo de digestão de gorduras no organismo humano. Também conhecido como bile, é produzido pelo fígado e armazenado na vesícula biliar antes de ser liberado através dos ductos biliares para auxiliar na quebra e absorção de gorduras. Sua função principal é emulsificar as moléculas de gordura, tornando-as mais solúveis em água e facilitando sua absorção pelo intestino delgado.

Além de sua função digestiva, o ácido deoxicólico tem sido utilizado em tratamentos estéticos e medicinais. Como um dos principais componentes da bile, ele possui características detergentes que podem auxiliar na dissolução de depósitos de gordura localizada quando aplicado diretamente na pele. Isso o torna um ingrediente ativo em produtos cosméticos e tratamentos para redução de medidas e contorno corporal.

Como é feita a aplicação do ácido deoxicólico?

A aplicação do ácido deoxicólico é realizada por meio de injeções diretamente no tecido adiposo subcutâneo, onde as células de gordura estão localizadas. A técnica mais comum é conhecida como “injeção de lipólise”, sendo realizada por profissionais de saúde treinados, como médicos ou enfermeiros.

Antes da aplicação, é necessário realizar uma avaliação médica detalhada para determinar se o paciente é um candidato adequado para o tratamento. Essa avaliação inclui uma análise do histórico médico, exames físicos e oftalmológicos, além de uma conversa sobre expectativas e possíveis riscos.

Durante o procedimento, o ácido deoxicólico é injetado em múltiplos pontos da área a ser tratada. A quantidade e a frequência das injeções variam de acordo com o caso e a resposta individual de cada pessoa. Geralmente, são necessárias várias sessões para alcançar o resultado desejado.

Quando não é indicado o uso do ácido deoxicólico?

Embora o ácido deoxicólico seja considerado seguro e eficaz em muitos casos, nem todas as pessoas são candidatas adequadas para a aplicação. Existem algumas contraindicações e situações em que seu uso não é recomendado.

Pessoas com histórico de reações alérgicas ao ácido deoxicólico ou a qualquer outro componente do produto não devem realizar o tratamento. Além disso, pacientes com doença hepática ativa ou comprometimento da vesícula biliar não são indicados para a aplicação do ácido.

Mulheres grávidas ou em período de amamentação também devem evitar o uso, pois a segurança do produto nessas situações não foi estabelecida.

É importante ressaltar que a decisão sobre a realização do tratamento com ácido deoxicólico deve ser feita em conjunto entre o paciente e o profissional de saúde, levando em consideração o histórico médico completo e as expectativas realistas do tratamento.

Possíveis efeitos colaterais do ácido deoxicólico

Embora o ácido deoxicólico seja considerado seguro quando utilizado corretamente, existem alguns efeitos colaterais que podem ocorrer após a aplicação.

Os efeitos colaterais mais comuns incluem vermelhidão, inchaço e sensibilidade no local da aplicação. Esses sintomas geralmente desaparecem dentro de alguns dias após o tratamento.

Em alguns casos, podem ocorrer efeitos colaterais mais graves, como coceira intensa, erupções cutâneas, nódulos ou endurecimento na área tratada. Se algum desses sintomas persistir ou piorar, é importante entrar em contato com o profissional de saúde responsável pelo tratamento.

É importante seguir todas as recomendações pós-tratamento, como evitar a exposição solar excessiva, utilizar protetor solar e evitar o uso de cremes ou produtos irritantes na área tratada.

Em conclusão, o ácido deoxicólico é um composto natural que desempenha um papel importante na digestão de gorduras. Além disso, é utilizado em tratamentos estéticos para redução de gordura localizada. A aplicação é realizada por meio de injeções no tecido adiposo subcutâneo, com o objetivo de emulsificar as células de gordura. É fundamental que apenas pessoas adequadas se submetam a esse tratamento e sigam todas as recomendações médicas para evitar possíveis efeitos colaterais.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp