Teste genético para câncer de mama BRCA1 e BRCA2: quando fazer e resultados

Teste genético BRCA1/BRCA2 identifica risco de câncer de mama/ovário. Indicado com histórico familiar/pessoal forte, resultados orientam prevenção/tratamento.

Quando fazer o teste genético BRCA1 e BRCA2

Decidir fazer o teste genético para os genes BRCA1 e BRCA2 é uma escolha pessoal que pode fornecer informações importantes sobre o seu risco de desenvolver câncer de mama e ovário. Este teste é recomendado para indivíduos que têm um histórico familiar significativo de câncer de mama ou ovário, especialmente se esses cânceres foram diagnosticados em uma idade jovem, ou se existe a presença de múltiplos casos na família. Além disso, pessoas de certas etnias, como as de origem ashkenazi judaica, têm uma chance mais alta de carregar variações nos genes BRCA e podem considerar fazer o teste.

Médicos e especialistas em genética podem aconselhar sobre a conveniência do teste baseado em sua história familiar e outros fatores de risco. Após um aconselhamento genético detalhado, onde as implicações dos resultados possíveis são discutidas, o indivíduo pode tomar uma decisão informada sobre prosseguir com o teste. Um aspecto crítico dessa decisão é entender que o teste pode não só afetar a pessoa testada, mas também ter implicações para membros da família, uma vez que pode revelar informações hereditárias.

Como é feito o exame

O teste genético para os genes BRCA1 e BRCA2 é tipicamente realizado coletando-se uma amostra de sangue ou saliva do indivíduo. O processo é simples e semelhante à maioria dos exames de sangue. Uma vez coletada a amostra, ela é enviada a um laboratório especializado, onde o DNA será extraído e analisado para detectar mutações nos genes BRCA1 e BRCA2.

A tecnologia de sequenciamento genético tem avançado rapidamente, permitindo uma análise detalhada e precisa das sequências de DNA em busca de variantes genéticas associadas a um risco aumentado de câncer. É importante destacar que o teste genético BRCA pode ser específico, procurando apenas as mutações mais comuns, ou pode ser mais abrangente, analisando os genes completos para identificar qualquer mutação potencialmente significativa.

Enquanto aguardam os resultados, os indivíduos são encorajados a continuar o diálogo com seus profissionais de saúde sobre os possíveis desdobramentos e para desenvolver um plano de ação. Esse período pode ser emocionalmente desafiador, e o apoio de conselheiros especializados é crucial para ajudar a gerenciar a ansiedade e as expectativas.

Resultados do teste genético BRCA1 e BRCA2

Os resultados do teste genético BRCA1 e BRCA2 podem ser complexos e são geralmente categorizados em três tipos: positivos, negativos ou inconclusivos. Um resultado positivo significa que uma mutação foi encontrada e que o indivíduo tem um risco aumentado de desenvolver câncer de mama e ovário, além de possíveis implicações para outros tipos de câncer. Com essa informação, pode-se adotar medidas preventivas, como vigilância aumentada, profilaxia médica ou cirúrgica.

Um resultado negativo indica que não foram encontradas mutações conhecidas nos genes BRCA1 e BRCA2. No entanto, isso não elimina completamente o risco de desenvolver câncer, uma vez que outros fatores também contribuem para o risco. Além disso, existe a possibilidade de haver outras mutações genéticas não identificadas pelo teste.

Resultados inconclusivos ocorrem quando uma variação genética é encontrada, mas seu impacto no risco de câncer é desconhecido. Nesses casos, aconselhamento genético adicional e talvez testes adicionais em familiares podem ajudar a esclarecer o significado dessa variação.

Independente do resultado, é importante lembrar que o teste genético BRCA1 e BRCA2 oferece informações valiosas que podem orientar decisões de gestão de risco e tratamento preventivo. O acompanhamento com profissionais especializados é essencial para interpretar os resultados no contexto mais amplo da saúde individual e do histórico familiar. Comunicação aberta, aconselhamento genético e suporte emocional são componentes chave para navegar no processo e nas decisões que se seguem ao teste genético.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp