Colo do útero fechado ou aberto: o que significa?

Colo do útero fechado indica que não há dilatação, comum fora do trabalho de parto. Quando aberto, indica preparação para o parto, permitindo a passagem do bebê.

Quando o colo do útero se encontra fechado

O colo do útero, localizado no fundo da vagina, serve como uma porta de entrada ou saída para o útero. O estado do colo do útero, seja ele aberto ou fechado, pode indicar várias condições relativas à saúde feminina, além de etapas diferentes do ciclo menstrual. Normalmente, o colo do útero se mantém fechado para proteger o útero de infecções e ajudar a manter e sustentar uma gravidez até o momento do parto.

Durante a maior parte do ciclo menstrual de uma mulher, o colo do útero permanece fechado, com uma abertura muito pequena por onde passa o sangue menstrual. Esse fechamento serve como uma barreira física, mantendo o ambiente uterino seguro e limpo. No contexto de uma mulher não grávida, um colo do útero fechado é o estado normal e esperado, indicando que o corpo está funcionando como deveria para proteger o trato reprodutivo interno.

Ao se aproximarem do período menstrual, algumas mulheres podem notar ligeiras mudanças no colo do útero, mas ele geralmente se mantém mais fechado do que em outras fases. Vale ressaltar que a sensação de firmeza do colo do útero e a posição podem variar ligeiramente durante o ciclo menstrual devido às oscilações hormonais, o que é totalmente normal e não deve ser motivo de preocupação.

Quando o colo do útero se encontra aberto

Por outro lado, há momentos específicos no ciclo menstrual e durante a gravidez em que o colo do útero se encontra aberto. Isso tem uma implicação direta sobre a fertilidade e o processo de dar à luz. Uma das fases em que o colo do útero está aberto é durante a ovulação. Neste período, o útero está mais receptivo à passagem de espermatozoides devido ao amolecimento e à abertura do colo. Essa mudança facilita a fertilização do óvulo, maximizando as chances de concepção. A abertura do colo do útero durante a ovulação pode ser muito sutil, mas é crucial para o processo de reprodução.

Além disso, no final da gravidez, o colo do útero passa por um processo chamado de apagamento e dilatação, preparando-se para o parto. O apagamento refere-se ao afinamento do colo do útero, enquanto a dilatação é a abertura. Essas mudanças permitem que o bebê passe pelo canal de parto. A observação da dilatação é um aspecto importante para determinar o quão avançado está o trabalho de parto.

Fora desses períodos naturais de abertura, a presença de um colo do útero aberto pode indicar outros estados de saúde que necessitam de atenção médica, como infecções ou anormalidades estruturais. É essencial que as mulheres façam exames ginecológicos regulares para garantir que quaisquer anormalidades sejam identificadas e tratadas prontamente.

Como sentir o colo do útero

Para sentir o colo do útero, é necessário um procedimento simples que a mulher pode fazer por conta própria. Recomenda-se fazer isso em momentos diferentes do ciclo menstrual para observar as mudanças na abertura e na consistência do colo do útero. Para começar, as mãos devem ser lavadas cuidadosamente para evitar a introdução de bactérias na vagina. Em seguida, pode-se tentar alcançar o colo do útero com um ou dois dedos inseridos na vagina. A melhor posição para isso pode variar de mulher para mulher, mas agachar-se ou colocar um pé em uma posição elevada pode facilitar o acesso.

O colo do útero tem uma consistência que é frequentemente comparada à sensação do nariz, entre o macio e firme. Quando fechado, pode ser difícil de distinguir uma abertura. Durante a ovulação, pode-se notar uma suavização na consistência e uma ligeira abertura. É importante notar que o autocuidado e o autoexame devem ser feitos com cautela e nunca substituir os exames regulares feitos por um profissional de saúde.

Conhecer o próprio corpo e observar as mudanças do colo do útero pode ser uma ferramenta empoderadora para as mulheres. Ajuda no entendimento dos ciclos naturais do corpo, na detecção precoce de possíveis problemas de saúde, e na tomada de decisões informadas sobre fertilidade e planejamento familiar. No entanto, qualquer alteração notável ou preocupação deve sempre ser discutida com um ginecologista, que pode fornecer orientação e suporte profissional.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp