Insulina NPH: o que é, para que serve e como usar

A insulina NPH é um tipo de insulina de ação intermediária, utilizada para o tratamento de diabetes. Ela regula o nível de glicose no sangue e deve ser aplicada por injeção subcutânea.

Insulina NPH: o que é e para que serve

A insulina NPH, sigla para protamina neutra Hagedorn, é um tipo de insulina de ação intermediária, amplamente utilizada no tratamento da diabetes mellitus. Essa insulina é suspensa em uma solução contendo protamina, o que retarda a sua absorção e prolonga a sua ação no organismo. Dessa forma, a insulina NPH tem uma duração mais longa em comparação com outros tipos de insulina.

A insulina NPH é indicada principalmente para controlar os níveis de glicose no sangue, ajudando a manter a diabetes sob controle. Ela é frequentemente usada em combinação com outros tipos de insulina, como a insulina regular, para atingir um melhor controle glicêmico. Seu efeito é mais marcante durante o período intermediário do dia.

Como tomar insulina NPH

A forma como a insulina NPH é administrada pode variar de acordo com as necessidades individuais de cada pessoa. Geralmente, a insulina NPH é injetada subcutaneamente, sendo possível aplicá-la na região abdominal, coxas ou braços. Ela deve ser administrada sempre sob a orientação de um profissional de saúde e seguindo as instruções do fabricante.

Antes de usar a insulina NPH, é fundamental lavar bem as mãos e preparar o local de injeção com álcool. É importante agitar suavemente o frasco ou a caneta de insulina para misturar bem a suspensão antes da administração. A agulha deve ser inserida no tecido subcutâneo com um ângulo de 45 graus e a dose de insulina injetada lentamente.

Possíveis efeitos colaterais da insulina NPH

Como qualquer medicamento, a insulina NPH também pode causar alguns efeitos colaterais, embora nem todas as pessoas os apresentem. Alguns dos efeitos colaterais mais comuns incluem dor, vermelhidão ou inchaço no local de injeção, hipoglicemia (nível baixo de glicose no sangue), ganho de peso e reações alérgicas. É importante estar atento a esses efeitos colaterais e relatá-los ao médico caso persistam ou se tornem preocupantes.

A hipoglicemia é um dos efeitos colaterais mais importantes a serem observados. Os sintomas podem variar de acordo com a gravidade, mas podem incluir tremores, sudorese, tonturas, fome excessiva, confusão mental e até mesmo convulsões. É fundamental que pessoas em tratamento com insulina NPH estejam cientes desses sintomas e saibam como agir em casos de hipoglicemia.

Quem não deve usar insulina NPH

Apesar de ser um medicamento amplamente utilizado no tratamento da diabetes, existem algumas situações em que a insulina NPH não deve ser utilizada. Entre os casos em que o uso de insulina NPH deve ser evitado ou cuidadosamente monitorado estão: alergia conhecida à insulina, episódios frequentes de hipoglicemia grave, doenças hepáticas ou renais avançadas, gestantes ou lactantes, assim como pacientes com condições médicas graves e instáveis.

Além disso, é fundamental que o médico informe-se sobre quaisquer outros medicamentos em uso, uma vez que algumas substâncias podem interagir com a insulina NPH e aumentar o risco de hipoglicemia ou outros efeitos colaterais. É importante seguir sempre as recomendações do médico para garantir um uso seguro e eficaz da insulina NPH.

Concluindo, a insulina NPH é um medicamento importante no tratamento da diabetes mellitus, ajudando a controlar os níveis de glicose no sangue. Seu uso deve ser cuidadosamente orientado por um profissional de saúde, considerando as necessidades individuais de cada pessoa. Com a administração adequada e monitoramento regular, a insulina NPH pode contribuir significativamente para um melhor controle da diabetes e uma vida mais saudável.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp