Eculizumab: para que serve, como usar e efeitos colaterais

O Eculizumab é um medicamento utilizado no tratamento de doenças como a síndrome hemolítico-urêmica atípica e a miastenia grave. Deve ser administrado por via intravenosa e possui alguns efeitos colaterais, como dor de cabeça, infecções e reações no local da injeção.

Eculizumab: para que serve, como usar e efeitos colaterais

Quem não deve usar

Eculizumab é uma medicação essencial para o tratamento de certas doenças raras, porém, existem casos em que seu uso não é recomendado. É importante ressaltar que apenas um médico qualificado pode indicar se esse medicamento é adequado para cada paciente. Aqui estão algumas situações em que o uso de Eculizumab não é recomendado:

Pacientes com hipersensibilidade

Pacientes com histórico de hipersensibilidade conhecida ao Eculizumab ou a qualquer um dos componentes da medicação devem evitar o uso desse medicamento. Reações alérgicas graves, como anafilaxia, podem ocorrer em indivíduos com hipersensibilidade conhecida. Nestes casos, o médico irá buscar alternativas de tratamento para evitar reações adversas graves.

Infecções não controladas

Eculizumab afeta o sistema imunológico ao inibir a ação do complemento, uma parte essencial da resposta imunológica. Por isso, pacientes com infecções não controladas devem evitar o uso deste medicamento. O uso de Eculizumab em tais circunstâncias pode comprometer ainda mais o sistema imunológico do paciente, aumentando o risco de complicações graves.

Imunizações com vacinas vivas

O uso de vacinas vivas é contraindicado durante o tratamento com Eculizumab. Isso ocorre porque a medicação pode afetar a eficácia das vacinas vivas, diminuindo ou anulando seus efeitos protetores. Além disso, a interação entre vacinas vivas e Eculizumab pode aumentar o risco de infecções graves em pacientes imunocomprometidos. Portanto, é importante que os pacientes sejam cuidadosamente orientados quanto às vacinas adequadas e seguras a serem administradas durante o tratamento.

Pacientes com meningococemia

Eculizumab aumenta o risco de infecção meningocócica. Portanto, pacientes que apresentam ou já tiveram meningococemia devem evitar o uso deste medicamento, a menos que os benefícios superem os riscos. Os médicos irão avaliar cuidadosamente cada caso antes de prescrever Eculizumab em pacientes com histórico de doença meningocócica, especialmente considerando as medidas necessárias para prevenir infecções.

Pacientes com diagnóstico de Hepatite B

Pacientes com diagnóstico atual ou passado de Hepatite B devem evitar o uso de Eculizumab. A medicação pode reativar a infecção e causar danos mais graves ao fígado. Os médicos precisam realizar uma avaliação completa da saúde do paciente antes de iniciar o tratamento com Eculizumab, especialmente para descartar qualquer risco adicional relacionado à saúde hepática.

Pacientes com suspeita de gestação

O uso de Eculizumab durante a gravidez não é bem estudado e, em animais, estudos pré-clínicos demonstraram efeitos adversos no desenvolvimento fetal. Portanto, mulheres com suspeita de gravidez devem evitar o uso de Eculizumab. Os médicos devem discutir os riscos e benefícios potenciais da medicação com a paciente, considerando outras opções de tratamento disponíveis.

Em suma, é fundamental que o paciente esteja em contato frequente com seu médico para discutir qualquer alergia, infecção ou condição de saúde atual antes de iniciar o tratamento com Eculizumab. Somente um profissional de saúde qualificado pode avaliar quais são os benefícios e riscos individuais e fazer recomendações adequadas para o uso desta medicação.

Este conteúdo não deve ser usado como consulta médica. Para melhor tratamento, sempre consulte um médico.

Sobre o autor da postagem:

Picture of Conexão Jornalismo

Conexão Jornalismo

Com a Missão de levar notícia e informação para os leitores, a Conexão Jornalismo trabalha com as melhores fontes de notícias e os melhores redatores.

Fique por dentro:

nos siga no google news

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp