• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20170624 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Terça-feira, 20 de Junho de 2017

Viva Roda - Felipe Pena faz a roda do jornalismo girar para a esquerda - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > programação

Programação

 

Quarta-feira, 09 de Dezembro de 2015

Mago do Carnaval carioca, Paulo Barros ataca Prefeitura do Rio: "mentalidade do passado"

Da Redação

Paulo Barros (dir.) foi contratado pela Portela com a expectativa de realizar um grande desfile em fevereiro
Paulo Barros (dir.) foi contratado pela Portela com a expectativa de realizar um grande desfile em fevereiro

Carnavalesco que brilhou durante anos na Unidos da Tijuca, e que atualmente está na Portela, não poupa críticas à administração de Eduardo Paes. Paulo Barros não se conforma com o atraso no repasse das verbas oficiais para as escolas, o que segundo ele pode comprometer a qualidade dos desfiles: "Continuam achando que o Carnaval se faz em três meses! Eu estou de saco cheio!" Saiba mais:

ver mais >>

Sábado, 28 de Novembro de 2015

Sábado com Poesia: pérolas de Mário Quintana - vídeos

Da Redação

Um gaúcho universal
Um gaúcho universal

"Da vez primeira em que me assassinaram,/Perdi um jeito de sorrir que eu tinha./Depois, a cada vez que me mataram,Foram levando qualquer coisa minha./Hoje, dos meus cadáveres eu sou/O mais desnudo, o que não tem mais nada./Arde um toco de Vela amarelada,/Como único bem que me ficou./Vinde! Corvos, chacais, ladrões de estrada!/Pois dessa mão..." Leia poemas e uma breve biografia. Veja também a declamação do ator Antônio Abujamra para versos de Quintana e uma entrevista com o carismático poeta:

ver mais >>

Sexta-feira, 06 de Novembro de 2015

Coletivo Pi faz espetáculo itinerante na noite de São Paulo - vídeos

Da Redação

Sempre inusitado em suas apresentações
Sempre inusitado em suas apresentações

Bastante conhecido desde que criou o premiado "Entre Saltos" e passou a fazer performances nas ruas e praças de capitais brasileiras, O Coletivo Pi invade mais uma vez a noite paulistana com o espetáculo "O retrato mais que óbvio daquilo que não vemos". A intenção do grupo é "interagir com as pessoas que encontrar pelo caminho, criando cenas e intervenções que dialogam com o espaço público e apresentam figuras marcantes do universo urbano". Leia a reportagem e veja imagens das apresentações:

ver mais >>

Sábado, 31 de Outubro de 2015

Sábado com Poesia: "um filme" para Drummond, neste 31 de outubro

Por Rogério Imbuzeiro

Poeta mineiro nasceu em 31 de outubro de 1902
Poeta mineiro nasceu em 31 de outubro de 1902

O inusitado e comovente relacionamento entre um jovem morador da Baixada Fluminense e a estátua de Carlos Drummond de Andrade instalada no calçadão de Copacabana. As estações do ano vão se sucedendo e "o poeta" se torna uma espécie de confidente, cúmplice de uma bela história de amor.

ver mais >>

Sábado, 24 de Outubro de 2015

Sábado com Poesia: "Eu nunca guardei rebanhos", de Fernando Pessoa

Pessoa = Alberto Caeiro
Pessoa = Alberto Caeiro

"Eu nunca guardei rebanhos,/Mas é como se os guardasse./Minha alma é como um pastor,/Conhece o vento e o sol/E anda pela mão das Estações/A seguir e a olhar./
Toda a paz da Natureza sem gente/Vem sentar-se a meu lado./Mas eu fico triste como um pôr de sol/Para a nossa imaginação,/Quando esfria no fundo da planície/E se sente a noite entrada/Como uma borboleta pela janela." Leia o poema e, ao final, ouça Antônio Abujamra recitar outros versos de "O guardador de rebanhos", clássico de Alberto Caeiro, um dos heterônimos de Pessoa:

ver mais >>

Sábado, 17 de Outubro de 2015

Sábado com Poesia: "O Haver", de Vinicius de Moraes

Da Redação

Autor de um dos mais belos poemas da língua portuguesa
Autor de um dos mais belos poemas da língua portuguesa

"Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura/Essa intimidade perfeita com o silêncio/Resta essa voz íntima pedindo perdão por tudo:/- Perdoai! - eles não têm culpa de ter nascido.../Resta esse antigo respeito pela noite, esse falar baixo/Essa mão que tateia antes de ter, esse medo/De ferir tocando, essa forte mão de homem/Cheia de mansidão para com tudo quanto existe." (leia na íntegra e ouça os versos na voz do poeta)

ver mais >>

Pág. atual: 2/7
 
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!