• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20210228 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021

Danilo Gentili diz que Marcius Melhem quer silenciá-lo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > notícias conexão

Notícias Conexão

 

Sexta-feira, 04 de Setembro de 2020

Vacina russa apresenta respostas imunes e não tem efeitos adversos, aponta pesquisa

Spunitk 5, a vacina russa contra a Covid-19, será testada em 10 mil voluntários brasileiros. Foto - Redes sociais-reprodução
Spunitk 5, a vacina russa contra a Covid-19, será testada em 10 mil voluntários brasileiros. Foto - Redes sociais-reprodução


A vacina russa contra a covid-19, conhecida como Sputnik V, apresentou respostas imunes e não teve efeitos adversos, conforme um estudo publicado em uma das maiores revistas científicas do mundo, The Lancet, nesta sexta-feira (4). Ainda assim, os russos reconheceram que são necessários mais testes para que a eficácia da vacina seja comprovada, uma vez que ainda não foram realizadas todas as etapas.


Segundo a pesquisa, não foram constatados resultados adversos até 42 dias após a aplicação da vacina, e todos os 76 participantes desenvolveram anticorpos em até 21 dias.

Conforme informaram cientistas do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, responsável pelo desenvolvimento da vacina em Moscou, a resposta foi melhor do que a vista em pacientes que foram infectados e se recuperaram naturalmente.

"É um estudo aguardado, publicado em uma revista séria. Hoje a vacina pode ser categorizada como realmente uma candidata, mas isso ainda depende de estudo de fase três onde estão 7 outras vacinas", disse Renato Kfouri, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, ao G1. Na terceira fase, a vacina é testada em um contingente expressivo de pessoas, quando a eficácia pode ser comprovada em larga escala.

No Paraná, um representante do governo estadual, o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov, se reuniram para pensar uma possível parceria. Na ocasião, o estado brasileiro ofereceu a estrutura do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para a produção.

"Tivemos a aprovação do embaixador e agora os protocolos do acordo serão preparados pelas equipes do Paraná e da Rússia. Em seguida será agendada uma reunião dele com o governador Carlos Massa Ratinho Junior para a finalização dessa parceria, que pode incluir, ainda, a produção de medicamentos para a doença", informou o chefe da Casa Civil, em nota da assessoria do governo.

Apesar do Brasil estar se colocando como um campo de testes, isso não garante que os brasileiros sejam contemplados com as vacinas. Isso porque o domínio tecnológico está na mão de grandes conglomerados farmacêuticos.

 

Veja também:

>> O racismo no salão de cabeleireiro atinge modelos negras - vídeo

>> Rede europeia contra racismo alerta para extrema-direita em Portugal

>> Justiça condena Roberto Jefferson a indenizar em R$ 10 mil Alexandre de Moraes

>> Maduro diz que Dolnald Trump oferece U$ 15 milhões pela sua cabeça

>> Dispositivo portátil pode realizar teste da covid-19 com menor custo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Vacina russa apresenta respostas imunes e não tem efeitos adversos, aponta pesquisa
 

Copyright 2021 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!