• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20181018 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018

Caetano entrevista Manuela D'Ávila
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Terça-feira, 02 de Outubro de 2018

Globo X Record: nem nas pesquisas as emissoras combinam

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > notícias conexão

Notícias Conexão

 

Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2018

Le Monde: Brasil é uma democracia em declínio

Um editorial do jornal Le Monde publicado no sábado, 27, coloca o pingo nos is da conjuntura política nacional. "NO Brasil, uma democracia em declínio" é o título carregado nas tintas, mas longe de parecer sensacionalista. Sabemos que o país, desde a instituição do golpe, é um país a promover escândalos nos campos da economia e política. Venda de ativos, reformas que buscam achatar o salário do trabalhador e reduzir conquistas sociais e principalmente a intervenção na política através do Judiciário partidário. O seletivismo da Justiça, aliás, é uma das razões do editorial. Leia aqui.


no Le Monde

No Brasil, uma democracia em declínio



Os escândalos, misturando casos de dinheiro sujos e negociações no porão, se sucederam no poder do ponto de vista dos deslumbrantes brasileiros.

Depois de bravata, lágrimas e excessos, Luiz Inácio Lula da Silva, conhecido como "Lula", presidente do Brasil entre 2003-2011, obedeceu. Na sexta-feira, 26 de janeiro, seus advogados entregaram o passaporte do ex-chefe de Estado às autoridades policiais de São Paulo. Esta medida foi exigida por um juiz de Brasília, no dia seguinte à sua sentença a doze anos e um mês de prisão por suborno passivo e lavagem de dinheiro.

Mais uma humilhação para o ex-sindicalista, figura da luta dos trabalhadores sob a ditadura militar (1964-1985), que foi um dos maiores líderes políticos do país e a estrela dos encontros internacionais no auge do seu esplendor. O destino de Lula, "pai dos pobres", cuja política social tirou milhões de brasileiros da pobreza, desencadeia paixões.

Seus aliados protestam contra sua inocência e o defendem como um deus enquanto seus inimigos o consideram um bandido. Apesar da comprovada estranheza do processo judicial, não é absurdo imaginar que o ex-metalúrgico e seu Partido dos Trabalhadores, como seus predecessores, tenham sucumbido à tradição clientelista do sistema político brasileiro. Já em 2005, o escândalo de "mensalao" (a compra de votos dos parlamentares) quase lhe custou sua reeleição. E, além desta primeira condenação, Lula também é objeto de outros oito processos legais.


Imunidade equivocada



Mas o mal-estar cresceu desde o controverso "impeachment" em 2016 da presidente Dilma Rousseff, herdeira e sucessora de Lula. Longe de servir à causa da ética prometida desde o início da operação anti-corrupção "Lava Jato", a desgraça de Lula oferece o espetáculo angustiante de um velho mundo político em desordem.

No momento em que os juízes pronunciaram a sentença contra o ex-metalúrgico, o atual presidente, Michel Temer, estava participando da cúpula de Davos, tentando fazê-la esquecer as pesadas acusações contra ele: corrupção passiva, participação em uma organização criminosa e obstrução da justiça .

Até agora, o chefe de Estado conseguiu suspender os procedimentos que o direcionam ao preço de um acordo sem vergonha com os parlamentares, eles mesmos em delicadeza com a justiça. No Congresso Brasileiro, pelo menos 45 senadores de 81 devem responder a acusações criminais, aponta o site Congresso em Foco, que examina a atividade parlamentar. Nada de novo. "Lava Jato" apenas lança luz sobre práticas muito antes de Lula chegar ao poder.

Após as manifestações monstruosas de 2015 e 2016 chamando em nome da "moralidade" a partida de Dilma Rousseff, os escândalos, dignos de um filme da série B, misturando casos de dinheiro sujos e negociações no porão, seguiram-se ao ponto de impressionar os brasileiros. Mas o status de foro privilegiado ("cidadão privilegiado") protege os políticos no cargo. A imunidade que eles desfrutam, legítima em princípio, é enganada e manipulada com o maior cinismo.

A elite de Brasília é banhada por um clima de impunidade que pode desgostar o povo. Poucos meses antes da eleição presidencial, o Brasil, um dos países mais desiguais do mundo, reflete a imagem de uma sociedade de castas onde os líderes não obedecem às mesmas leis que os pobres. É indigno e perigoso para a maior democracia da América Latina.

 

Veja também:

>> Indústria automotiva alemã suspeita de fazer testes com humanos

>> Violência explode em Rio Branco, no Acre, em função do tráfico

>> O duplo auxílio moradia do juiz Bretas

>> Márcia Tiburi abandona programa de rádio para não debater com Kim Kataguiri - vídeo

>> Radialista X Marcia Tiburi: após abandono de estúdio as justificativas

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Le Monde: Brasil é uma democracia em declínio
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!