• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20170530 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > notícias conexão

Notícias Conexão

 

Sábado, 25 de Março de 2017

Juíza do STJ libera prisão domiciliar para Adriana Ancelmo

Da Redação

Qual a razão do Judiciário atuar em favor de um privilégio exatamente quando se discute o seletivismo desta instituição em processos judiciais? O caso vem ganhando corpo e idas e vindas. Mas, se depender da ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a ex-primeira dama Adriana Ancelmo, acusdada de participar de falcatruas ao lado do marido, o ex-governador Cabral, estará em casa aguardando julgamento. O motivo? Parece risível, e é: precisa ajudar a criar os filhos pequenos.



Por certo a ministra Maria Thereza ignora que outras tantas presidiárias no Brasil, sem recursos pessoas ou públicos desviados, também quisessem gozar do mesmo benefício. E por que a juíza não luta então para estendê-lo a todas? Acaso só uma mãe rica, e sabe-se lá de que modo se tornou, pode ter preocupações com a maternidade?

Maria Thereza concedeu habeas corpus permitindo que Adriana Ancelmo fique em prisão domiciliar. A decisão foi divulgada pelo tribunal na noite desta sexta-feira (24).

Adriana está presa no Complexo Prisional de Bangu, acusada de envolvimento em crimes de corrupção praticados pelo seu marido e outras pessoas, inclusive com a utilização de seu escritório de advocacia para receber altas quantias de propina.

Ela havia recebido o benefício de prisão domiciliar no dia 17, em decisão do juiz federal Marcelo Bretas, mas a medida havia sido cassada, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

Os advogados de Adriana recorreram ao STJ, que decidiu em caráter liminar pela saída dela de Bangu. O motivo alegado pela defesa é que ela tem dois filhos menores de idade para cuidar, de 11 e 14 anos, que estão privados da convivência de ambos os pais, pois Cabral também está preso.

 

Veja também:

>> PF investiga funcionários a partir das curtidas no Facebook

>> Folha é obrigada a restabelecer nome de jornalista premiada

>> Antonio Carlos é demitido da Rádio Globo e Otaviano Costa entra no lugar

>> Brasil pós-golpe: Pezão vai cortar salários de professores da Uerj em 30%

>> ABF RIO promove palestra "Entendendo Franchising" para aprendizado em franquias

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Juíza do STJ libera prisão domiciliar para Adriana Ancelmo
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!