• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20191208 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Sábado, 23 de Novembro de 2019

Aos 60 anos, morre Gugu Liberato

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > notícias conexão

Notícias Conexão

 

Sábado, 31 de Agosto de 2019

Esquerda se reúne em ato político no Buraco do Lume - Praça Mario Lago

Lula gigante esteve no Buraco do Lume com Dino, Freixo, Jandira & Cia
Lula gigante esteve no Buraco do Lume com Dino, Freixo, Jandira & Cia

As boas notícias irão voltar



Por João Francisco Werneck (texto e fotografia)

Em meio ao caos do governo Bolsonaro, entre todas as más notícias que o ofício do jornalismo nos obriga a explanar diariamente, há boas novas para se contar. As forças progressistas no Brasil estão atentas. E mais do que isso. Estão unidas, como há muito tempo desejávamos. Juntas, elas organizaram o "Fórum de Resistência Democrática", que chegou ao seu último dia nesta sexta-feira, 30, no Rio de Janeiro.


O evento, realizado na Praça Mário Lago, no Centro, foi promovido pelos maiores partidos de esquerda no Brasil: PT, PCdoB e PSOL. Nomes importantes da política nacional, como Jandira Feghali, Marcelo Freixo, Glauber Braga e Flávio Dino, governador do Maranhão, proferiram discursos e debateram junto do povo alguns caminhos para resistir democraticamente ao desmonte estatal iniciado em janeiro deste ano.

Esse é, afinal, o efeito Bolsonaro, cujo extermínio das políticas e empresas públicas demanda organização de uma frente ampla e conjunta por parte da oposição. Para deputada federal e líder da minoria no Congresso, Jandira Feghali, "é importante que discutamos os retrocessos nos direitos civis e sociais e a repercussão disso dentro das cidades. Fazer isso e unir forças progressistas significa construir analises políticas, partidos e programas comuns, capazes de transformar a sociedade"

Quem reforçou a fala da deputada foi Glauber Braga, do PSOL. Em seu discurso, o parlamentar enfatizou a necessidade da "luta pelo diálogo". Para ele, é possível construir um novo Brasil através do dialogo, distanciando-se da polaridade que o discurso do presidente insiste em impor. Glauber analisou que o grupo de eleitores de Bolsonaro possui um "núcleo violento, fascista, de cerca de 30%". Para Glauber, a missão da esquerda é trazer para o seu lado as outras pessoas, que se distanciam do "núcleo duro" do presidente.

Sem dúvidas, o presidente Jair Bolsonaro e o seu projeto de país foram os maiores alvos das falas da noite. No evento, os organizadores do Fórum leram em conjunto uma carta que enumerava os erros do ex-capitão. Entre as críticas, sobrou espaço para denuncias sobre o extermínio do aparato de política ambiental, como as exonerações no Inpe e Ibama, tema bastante relembrado pelos palestrantes.

Entre esses, inclusive, destacou-se a autora do livro "Feminismo para os 99%: um manifesto", Cinzia Arruzza. Ela enalteceu a luta dos índios e das mulheres na Amazônia. Por fim, relembrou da força e da repercussão internacional do manifesto "ele não", lançado durante as eleições. Para ela, o Brasil se une de vez à luta global anti-fascista, assumindo um importante lugar ao se posicionar contra o que ela chamou de "forças conservadoras mundiais".

Um dos pontos mais importantes comentados pelos debatedores foi o papel de destaque que o "Fórum de Resistência Democrática" alçou o Rio de Janeiro. Para a deputada petista Benedita da Silva, "isso aqui é um tambor que irá ressoar por todo Brasil. O Estado do Rio de Janeiro pode mexer com o Brasil inteiro, por sua importância política e de vanguarda de movimentos sociais". Para Jandira, "a batalha faz parte da rua. É preciso que estejamos aqui. É isso que nos garante as liberdades".

Entre tantas importantes considerações levadas ao público pelos parlamentares e oradores da noite, a geógrafa Tainá de Paula apontou outra fundamental questão proporcionada pelo Fórum. Ela destacou a importância de consolidar o Rio de Janeiro como polo da luta e da resistência. "É preciso que o Brasil sinta e fale sobre a resistência que acontece no Rio de Janeiro, e que isso ecoe pelo país".

Nesse sentindo, o governador Flávio Dino salientou "a união das forças progressistas cariocas, e lembrou que o nordeste protagonizou há poucas semanas um movimento parecido, entre governadores, em defesa da Amazônia". Para ele, "é preciso construir uma agenda política e popular que esteja baseada na justiça social. Precisamos recuperar o legado do lulismo e de Leonel Brizola".

Ao fim de sua fala, o governador fez questão de reproduzir a tradicional "Tese de Abril", de Vladimir Lenin, que tanto se aplica à realidade brasileira: "precisamos de paz, pão e terra". "Esse é o nosso desafio: qual é a tradução do nosso paz, pão e terra nesse momento político do Brasil?", questionou.

Enquanto esta pergunta não é respondida, a esquerda brasileira se organiza. Fundamental que ela esteja ocupando com debates as praças, ruas e bairros das cidades, que é onde encontra-se a sua gente. Voltar a falar para as bases da pirâmide social, como havia dito Mano Brown no ano passado, era mais do que preciso. A união progressista, afinal, também.

E enquanto o governo patina em suas alianças, com os ratos, como sempre, já pulando para fora do barco diante do primeiro sinal de naufrágio, é com felicidade que noticiamos que nosso campo está organizado, afinando projetos e discursos, preparando-se, afinal, para voltar, e assim vencer de uma vez o mal do fascismo que assola o Brasil.

Sim, as boas notícias irão voltar

* João Francisco Werneck é jornalista

 

Veja também:

>> Eduardo Costa e o prejuízo mal contado de R$ 5 milhões

>> Bolsonaro coisifica brasileiros com seus xingamentos nada inocentes

>> Onde estava Queiroz? A Veja achou

>> Juízes repudiam fala de Moro: "não é absolutamente normal"

>> Jornalista é censurada Ao Vivo durante entrevista com Ricardo Salles - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Esquerda se reúne em ato político no Buraco do Lume - Praça Mario Lago
 

Copyright 2019 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!