• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20170124 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Terça-feira, 17 de Janeiro de 2017

Ao Vivo - Jornalista da Globonews é agredida por parente de preso - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > notícias conexão

Notícias Conexão

 

Sábado, 07 de Janeiro de 2017

Crítica & Literatura: Sobre partidas, cinema e o assombro literário

Piglia: as contradições da realidade são melhor traduzidas no cinema
Piglia: as contradições da realidade são melhor traduzidas no cinema

Sobre partidas, cinema e o assombro literário



Por Olga de Mello*

Embora não fosse conhecida como escritora, a atriz Carrie Fischer escreveu livros e roteiros e morreu, no finzinho de 2016, ao retornar da turnê de sua mais recente autobiografia, Memórias da Princesa (Best-Seller, R$ 34,90), em que contava o caso que teve com Harrison Ford, na filmagem de Guerra nas Estrelas. Carrie, que encarnou a icônica Princesa Leia, uma guerreira, líder de rebelião, era um ídolo pop com quase a mesma relevância que sua mãe, Debbie Reynolds, uma talentosa show woman, a mocinha do clássico Cantando na Chuva, que não resistiu à perda da filha, falecendo no dia seguinte e consternando o mundo inteiro.





Mal a gente enxuga as lágrimas e puxa de novo o lenço. O argentino Ricardo Piglia, que acaba de deixar o planeta nesta primeira semana de janeiro, via no cinema uma forma de narrativa importante para refletir a vida. Os cineastas da Argentina, acreditava ele, estavam conseguindo captar melhor as contradições da realidade imediata do que a literatura. Em 2006, esta foi uma das declarações que ele me deu em entrevista, para o jornal Valor Econômico, quando Piglia discorreu sobre a sinergia entre autobiografia, ensaio e história como um caminho para a literatura contemporânea.





Cinco anos antes, o cineasta Marcelo Piñeyro adaptara o cultuadíssimo Dinheiro Queimado (Companhia das Letras, R$ 42,90), de Piglia, para o cinema. O filme foi tão reverenciado quanto o romance, que teve como base o cerco da polícia argentina aos assaltantes de um banco em Buenos Aires, em 1965. No entanto, a ficção sempre superava a realidade na história. "Quase tudo ali foi inventado, apenas as características dos personagens e a trama eram reais", me disse Piglia na entrevista, quando apontou Silvia Molloy e Alan Pauls como alguns dos mais relevantes autores argentinos contemporâneos, salpicando elogios para o brasileiro Silviano Santiago, o espanhol Enrique Villa-Matas e os americanos Phillip Roth e Don DeLillo.



Professor de literatura em Princeton, Ricardo Piglia, como quase todos os escritores argentinos da atualidade, tinha na a vida política e econômica do país um dos temas que percorriam suas histórias. Apaixonado por literatura clássica, gostava de reler Moby Dick (Cosac Naify, R$ 74,90), de Herman Melville, que lhe provocava "assombro" a cada leitura. Piglia acredita que a literatura conseguia se aproximar melhor do mundo real no gênero policial, que permite captar perfeitamente o funcionamento das engrenagens sociais, juntando as relações entre poder, política e crimes, entre esses a corrupção. Para reverenciar o universo de reflexões e recriações artísticas da dura vida real, nada melhor do que começar o ano e aproveitar as férias de verão lendo não só a obra de Ricardo Piglia, como também seus autores preferidos ao longo de janeiro, enquanto esta coluna entra em breve recesso. Até fevereiro!!!




* Olga de Mello é jornalista, crítica literária e escreve aos sábados em Conexão Jornalismo

 

Veja também:

>> A história do herói Bombeiro que não ganhou repercussão

>> Alexandre Moraes tem a cabeça salva por Bruno Júlio

>> Internauta faz poesias em defesa da "punheta!"

>> Mãe que teve negada ajuda aos filhos é presa em Santa Catarina

>> Ator da Globo, André Gonçalves ameaça jornalista Léo Dias de agressão - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Crítica & Literatura: Sobre partidas, cinema e o assombro literário
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!