• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
SELECT TOP 3 B.Codigo , B.Nome_Arquivo , B.Href , B.Descricao FROM Banner B WHERE B.Publicar = 1 AND B.Data_Expiracao >= 20181019 AND B.[1pagina] = 1 AND B.Cod_Tipo_Banner = 4 ORDER BY B.Data_Publicacao DESC, codigo DESC
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018

Caetano entrevista Manuela D'Ávila
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Terça-feira, 02 de Outubro de 2018

Globo X Record: nem nas pesquisas as emissoras combinam

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > notícias conexão

Notícias Conexão

 

Sábado, 14 de Julho de 2018

Crítica & Literatura: Seleção literária - Final da Copa


Por Olga de Mello*

Por pouco a lista de seleções literárias de países participantes da Copa do Mundo não fica desfalcada dos finalistas. Isso porque encontrar um escritor croata publicado no Brasil é quase tão difícil quanto imaginar que a Croácia faria a final da Copa contra a França. Pródiga em poetas e dramaturgos, a literatura croata se confunde com a dos demais países que formaram a antiga Iugoslávia. Há uma multiplicidade de escritores sérvios e bósnios, alguns de Montenegro, porém, da Croácia, aparentemente, não chegaram ao Brasil. Em Portugal, no entanto, eles chegaram. Assim, salvamos a final.



Croácia - "Baba Yaga pôs um ovo" (Editorial Teorema, 19 euros - pode ser importado online pela Livraria Cultura), de Dubravka Ugresić, parte da viagem que a escritora fez à Bulgária em 2007, para tratar de velhice, identidade feminina, segredos e amores, temas que estão na segunda parte do livro, que narra a estada de três mulheres idosas durante uma semana numa estação de águas. Baba Yaga, uma velha bruxa pavorosa da mitologia do Leste Europeu, simboliza as mulheres invisíveis do mundo inteiro - inférteis e ignoradas pela sociedade.




França/Marrocos -
"Cantiga de Ninar" (Tusquets Editores, R$ 32,80), de Leila Slimani, traz uma tragédia urbana mais comum (felizmente) na ficção do que na vida real: o assassinato de duas crianças pela babá aparentemente perfeita contratada pelo casal de classe média para cuidar dos filhos e da casa.
Publicado em mais de trinta países e com mais de 600 mil exemplares vendidos na França, o romance ganhou o Prêmio Goncourt em 2016 - pela primeira vez concedido a uma autora nascida em Marrocos e radicada na França desde a adolescência.







Senegal
-
"Mutilada" (Rocco, R$ 24,40), de Khady, discute as tradições religiosas e sociais de subjugação das mulheres. A mutilação genital feminina é praticada em diversos países, mesmo quando proibida por lei e sem qualquer base em religião. A militante feminista senegalesa Khady descreve neste depoimento o sofrimento pela retirada de seu clitóris aos 7 anos de idade e de sua conscientização sobre a misoginia de sua cultura. Casada aos 17 anos com um primo, ela foi para a França, onde rompeu com os costumes ancestrais e tornou-se ativista.






Dinamarca -
"A exceção" (Intrínseca, R$ 39,90), de Christian Jungersen, aborda o assédio moral num ambiente de trabalho que deveria estar completamente distanciado de tal prática - uma organização humanitária.
Por trás do respeito às individualidades que cada um dos cinco profissionais da ONG professa há manipulação, inveja e disputas que bombardeiam qualquer tipo de relacionamento, enquanto tentam descobrir os autores de ameaças neonazistas à instituição.









Coreia do Sul - "Por favor, cuide da Mamãe" (Intrínseca, R$ 34,90), de Kyung-Souk Shin, trata com muita delicadeza de vários temas da atualidade. Uma mulher interiorana se perde do marido numa estação de metrô de Seul, onde o casal vai visitar os cinco filhos.
Enquanto a procuram pela cidade, o marido e os filhos relembram sua vida e repassam tudo o que nunca lhe disseram, concluindo que nunca a conheceram realmente e que precisam recuperar o tempo perdido.








* Olga de Mello é jornalista, cronista, crítica literária e escreve aos sábados em Conexão Jornalismo

 

Veja também:

>> Greg News: o México e as invenções que mudaram o mundo - vídeo

>> Candidato ao Senado, Renan Calheiro grava vídeo em defesa de Lula - vídeo

>> Pela legalização maconha: Luiz Fernando Guimarães se prepara para voltar à TV

>> Desesperançoso: ô sujeito desagradável!

>> Fumei, mas não traguei: filho de Bolsonaro diz que "curtiu" Lula sem querer

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Crítica & Literatura: Seleção literária - Final da Copa
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!