• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > rio

Política - Rio

 

Sexta-feira, 10 de Janeiro de 2020

Witzel é delatado em esquema de caixa dois

Por sugestão de Marcelo Barros

Foto do Facebook do governador Wilson Witzel
Foto do Facebook do governador Wilson Witzel

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), que surpreendeu o mundo político ao conquistar a eleição para o Palácio Guanabara em 2018, foi citado como beneficiário de doação irregular para a campanha. A notícia circulou na edição online do Jornal Estado de São Paulo (leia aqui) e indica, em diálogos, que intermediários negociaram para fazer chegar recursos ilegais à disputa pelo governo do Rio. Além de Witzel foram denunciados Leonardo Picciani (MDB) e Cândido Vacareza (Avante).

Uma das delações é de Daniel Gomes da Silva, empresário que detinha contratos na área da Saúde do Estado. Ela traz conversas de WhatsApp, áudios de reuniões com o ex-governador Ricardo Coutinho (Paraíba, onde teve início a investigação), a quem atribui o papel de líder da organização criminosa instalada na administração do estado. Ele também diz que chegou a fazer doações de R$ 1 milhão para a campanha de João Azevedo (atual governador da Paraíba), e que o atual governador manteve a 'espinha dorsal' dos esquemas, ao nomear os secretários de Coutinho. O atual governador anunciou sua saída do PSB em dezembro. Ele está sem partido.

A investigação que culminou com a citação de Witzel ganhou o nome de Calvário quando teve inicio ainda na Paraíba. Em dezembro último, o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) teve a prisão preventiva decretada, mas foi rapidamente posto em liberdade por decisão do STJ.

Witzel

No que diz respeito ao governador do Rio, surge na conversa uma referência à doação de R$ 115 mil via caixa dois. Daniel, o empresário delator, diz "ter estabelecido uma relação de confiança" com Robson dos Santos França - o Robinho, então assessor do senador Arolde de Oliveira (PSD/RJ)- e teria tratado 'em diversos períodos eleitorais sobre ajuda financeira'. "Assim aconteceu à época em que ele trabalhou nas campanhas do Arolde de Oliveira à Deputado Federal e, ainda, quando ele trabalhou na campanha do Antônio Pedro Índio da Costa à Prefeitura do Rio de Janeiro no ano de 2016, logo após assessorá-lo na Secretaria Municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação da Prefeitura no governo de Marcelo Crivella". O nome de Crivella não aparece como beneficiário da delação.

Em outubro de 2018, já no segundo turno, o delator diz ter sido procurado por Robson, que pediu recursos à campanha de Witzel. As tratativas foram, em parte, feitas pelo WhatsApp, e as mensagens foram entregues pelo empresário à Procuradoria-Geral da República.

Num trecho do depoimento, Daniel revela o teor da conversa com Robson sobre doações a Witzel e Arolde:

- Robson enviou pelo aplicativo 'WhatsApp' diversas fotos com o candidato Witzel e com Arolde, informações sobre o apoio ao candidato ao Governo do Estado, bem como me solicitou ajuda financeira para campanha, afirmando que Witzel tinha crescido muito nas pesquisas e que, se ele ganhasse a eleição, a ajuda financeira me abriria portas junto ao governo do estado- disse.

Perguntado sobre as denúncias, Witzel respondeu via assessoria:

- Robson dos Santos França, assessor do senador Arolde de Oliveira citado na referida delação, não trabalhou na campanha do governador Wilson Witzel.

- Todas as informações sobre a campanha foram prestadas à Justiça Eleitoral e as contas foram aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral.

- A campanha de Wilson Witzel não teve caixa dois e o governador condena tais práticas.

Os outros citados procurados pelo Estadão não se manifestaram.

Para ler a reportagem na íntegra clique aqui

 

Veja também:

>> Estagiária do Rio influencia júri em processos envolvendo a milícia

>> Carne é o "chuchu" de Bolsonaro num país de inflação em alta

>> Enquete: a quem você daria um copo d'água da Cedae?

>> Bolsonaro, o circo no Coliseu e a humilhação do jornalismo

>> Pouco há de compreensão da vida para um país que vive de alegrias momentâneas

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Witzel é delatado em esquema de caixa dois
 

Copyright 2020 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!