• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Segunda-feira, 17 de Junho de 2019

Paulo Betti é processado por racismo em clima de disputa sindical
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Terça-feira, 18 de Junho de 2019

Condenado a indenizar padres, Ratinho foi só sorrisos ao receber Sérgio Moro

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > rio

Política - Rio

 

Domingo, 14 de Abril de 2019

Pessoa legal é a Elika Takimoto. Repara só!

Texto e foto do Instagram de Elika Takimoto

Isabel não mentiu. Ela alimenta seus irmãos
Isabel não mentiu. Ela alimenta seus irmãos

Elika Takimoto é professora, youtuber e gente boa. Foi candidata a Deputada Estadual pelo PT do Rio. Teria sido dela meu voto se no meio do caminho não houvesse Dani Balbi. Mas isso não vem ao caso. Ao caso, sim, é a narrativa que ela postou em seu Instagram e que reproduzo aqui. Sem autorização e correndo o risco de ouvir algo do tipo - como você posta algo de alguém sem pedir licença antes e tal. Mas acho que não vai acontecer. Vou correr o risco. Mas vale a pena. O texto é muito bom e a história ainda melhor. Vai até o fim e me diga se não valeu à pena roubar esta laranja no quintal do vizinho.




Por Elika Takimoto:

"Fui almoçar em um self service baratinho no Flamengo. Na entrada, uma menininha linda de uns sete anos me interceptou: - Tia, me paga um prato de comida. Eu quero comida. Tô com fome.

Quem vai negar um prato de comida para uma criança? - Claro. Vamos, falei. Qual seu nome? - Isabel, tia. - Vamos lá, Isabel.

Assim que entramos ela começou: - Pode ser quentinha? É que eu preciso levar para meus irmãos também, tia. - Quantos são?, perguntei. - Muitos, tia. Respondeu ela olhando para as opções. Pode ser quentinha, tia? - Claro. O que você quer que eu coloque aqui?
A- Arroz, tia. Coloca muito arroz. Agora feijão, tia. Purê de batata. Mais purê. Macarrão, tia. - Não quer legumes? Uma salada também? Não quer?, insisti como faço com meus filhos. - Não, tia. Quero comida. Carne, tia. Pode colocar carne também?

A quentinha deu 40 reais de tanto peso. Geralmente pago menos que 15 no meu prato.

Entreguei para Isabel com uma garrafa de refrigerante que ela havia escolhido. Isabel pegou tudo e saiu correndo.

Fiz meu prato e sentei para almoçar sem pressa.
Em poucos minutos, vi Isabel mais uma vez com outra tia apontando o que queria colocar na quentinha.

Lá saiu Isabel apressada com outra quentinha... Logo depois, veio Isabel segurando a mão de um tio de novo. O tio olha para ela carinhosamente e coloca tudo o que Isabel quer.

Nessa hora eu estava pagando e resolvi seguir Isabel.

Ela foi ali para a praça do Largo do Machado. Havia várias pessoas com cobertores sujos, roupas rasgadas, sentadas no chão e deitadas em cima de papelão esperando por Isabel.

Isabel não mentiu. Ela dava comida para "seus irmãos". Tão pequena e já carrega a responsabilidade de um Estado e a pressa - daqueles que entendem a necessidade - de alimentar um Brasil."

 

Veja também:

>> O Racismo na escola e o aprendizado de todos

>> Minc, o relato inédito da tortura e a crítica aos judeus adesistas destes tempos

>> Coração ou cotovelo? Mourão é internado e gera especulações

>> O Césio 137 à Brumadinho: Tragédias no Brasil serão tema de festival de cinema no Rio

>> Caso de racismo em escola no Rio termina com saída de aluna negra

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Pessoa legal é a Elika Takimoto. Repara só!
 

Copyright 2019 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!