• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Segunda-feira, 14 de Agosto de 2017

Hermano Henning processa SBT

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > eleições

Política - Eleições

 

Terça-feira, 07 de Março de 2017

Globo aposta em Alckmin para 2018

Por Fábio Lau

Uma página para Alckimin no Globo
Uma página para Alckimin no Globo
Popularidade é coisa que se fabrica? Em alguns casos, sim. Geraldo Alckmin, o político que mais vezes ocupou o Palácio dos Bandeirantes (quatro), anunciou que será candidato à Presidência da República pelo PSDB em 2018. Acusado aqui e ali em casos que envolvem compra superfaturada de merenda, contratação de empresas para manutenção de trens e metrô, obras do metrô, além de recebimento de recursos ilegais para a campanha - o que, em se tratando do PT, a mídia chama de propina - Alckmin terá o apoio do Grupo Globo. Na edição desta terça-feira (7), o jornalão da família Marinho oferece uma página inteira ao governador - na fotografia, ele aparece ao lado de Dória, seu pupilo a quem transformou em prefeito da cidade.

Alckmin, chamado picolé de chuchu por adversários, é muito menos do que isso. Um sujeito que age nos bastidores e parece contar com um botox natural que o faz estar sempre com a mesma expressão de copo d'água - nem bonito ou feio, apenas coisa alguma.

As acusações levantadas contra ele passam ao largo. Representantes das instituições que deveriam investigar parecem temê-lo. E, assim, evitam confrontá-lo com medo do amanhã.

Em 2006, candidato que concorreu com Lula na disputa presidencial, chegou bem perto da Presidência. No segundo turno, porém, conseguiu a proeza de ter menos votos do que no primeiro: 39,9 milhões de votos para fechar a campanha do segundo turno com 37,5 milhões.

Religioso convicto, da corrente reacionária da Igreja Católica, a Opus Dei, que é mais radical do que qualquer seita evangélica, ele acredita ser um homem ungido - e talvez seja dada a sobrevivência política quase imaculada.

Bota a PM em cima de pobres das favelas, professores, estudantes e doentes de câncer que buscavam o acesso à fosfoetanolamina sintética. Todas as maldades que estavam ao seu alcance foram praticadas. É ou não é protegido? Sabe-se lá por quem, mas que é, é!

O PSDB, partido sem prestígio e com uma carga de votos menor do que gostaria, tenta se antecipar com medo do fenômeno Bolsonaro. O radical de direita é hoje o segundo mais bem cotado nas pesquisas de intenção de votos e isso coloca o tucanato em quarto lugar. Marina é a terceira e Lula, sempre ele, o primeiro.

Caso não emplaque o homem da Opus Dei, o PSDB terá a difícil e suicida missão de fechar acordo com Bolsonaro - que se apresenta, agora, como o "exterminador de tucano".

A Globo, por sua vez, viaja na mesma embarcação insegura: sem um nome palatável à direita, só restará um mergulho profundo nas águas bolsonarianas. Um tiro que ela não gostaria de experimentar.



 

Veja também:

>> Habib's: seguranças não são os únicos suspeitos, mas a lerdeza da polícia também

>> Fora de Pauta: repórter Luarlindo Ernesto revela o que "não poderia levar para o túmulo" - vídeo

>> Depois de exaltar ricos, Dácio Campos vai para a geladeira no Sportv - vídeo

>> Fora de Pauta: a partir de hoje Jornalistas revelam bastidores da profissão

>> Gleise Hoffmann inicia campanha pela soltura de militantes do MST no Paraná

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Globo aposta em Alckmin para 2018
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!