• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Sábado, 15 de Dezembro de 2018

Castrinho é acusado de abuso sexual por Iris Bruzzi. Ele nega
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Quarta-feira, 05 de Dezembro de 2018

Após massacre ao cão, Masterchef omite nome do Carrefour do programa

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > brasil

Política - Brasil

 

Quinta-feira, 15 de Novembro de 2018

Menos Médicos: Associação de Municípios pede manutenção de cubanos

Ary Vanazzi: presidente da entidade
Ary Vanazzi: presidente da entidade
Associação de Municípios brasileiros, entidade presidida por Ary Vanazzi, divulga documento em que pede que o ainda presidente eleito, Jair Bolsonaro, que posa como se empossado estivesse, reveja sua decisão de interromper o atendimento à população através do programa Mais Médicos. Bolsonaro, que ofendeu médicos e o governo cubano, ouviu de autoridades daquele país o fim do acordo. Mas com isso pelo menos 60 milhões de brasileiros ficarão sem atendimento qualificado.
Brasília, 14 de novembro de 2018.

 
"A Associação Brasileira de Municípios, entidade municipalista mais antiga do Brasil e da América Latina, vem requerer de Bolsonaro ações imediatas para reverter a decisão do Ministério da Saúde Pública cubano em retirar-se do Programa Mais Médicos.

 O programa Mais Médicos foi criado em 2013 pela então presidente Dilma Rousseff e pelo então Ministro da Saúde Alexandre Padilha, para atender a solicitação da ABM e dos municípios brasileiros que não conseguiam contratar médicos para o atendimento básico à população.

 Desde então, entre médicos brasileiros e estrangeiros, entre eles muitos cubanos e cubanas, todos os municípios brasileiros puderam atender, muitas vezes pela primeira vez, toda sua população. Particularmente os cubanos têm atuado nas periferias das regiões metropolitanas, nos distritos indígenas, nas pequenas cidades e em regiões distantes dos grandes centros urbanos. São lugares, Bolsonaro, que viram, muitas vezes, pela primeira vez um médico. São municípios e regiões em que os médicos brasileiros dificilmente aceitavam ou aceitarão atender, mesmo a prefeitura pagando salários muito mais altos, com muitas dificuldades para fazê-lo.

 Os seguintes dados de atendimento nesses cinco anos evidenciam claramente a importância da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS) e dos médicos cubanos para os municípios brasileiros.

- mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira primeira vez graças ao programa;

- em cerca de 1100 municípios o programa Mais Médicos é responsável por 100% da cobertura da Atenção Básica;

- temos cerca de 8.500 médicos cubanos hoje no programa Mais Médicos;

- 95% da população brasileira avalia positivamente o programa, segundo estudo da UFMG;

 

- os médicos cubanos estão em 2.885 municípios do país, sendo a maioria do Norte do país, semiárido nordestino, cidades com baixo IDH, distritos  indígenas, periferias das regiões metropolitanas e municípios afastados dos grandes centros urbanos de maneira geral;

- 1.575 municípios só possuem médicos cubanos do Programa, sendo que 80% desses municípios são pequenos (menos de 20 mil habitantes) e localizados em regiões que foram oferecidos antes a médicos brasileiros, que não aceitaram trabalhar. 

Nosso solicitação é feita em nome dos prefeitos e prefeitas do Brasil, que querem atender bem a população, que se esforçam por garantir atendimento básico de saúde a seus munícipes e que tiveram, com o programa Mais Médicos, a possibilidade de garantir isso.

Em estudos, debates e visitas que a ABM realizou no ano de 2015 com municípios de todas as regiões do Brasil, através de projeto em parceria com o Ministério da Saúde e a OPAS, ficou muito evidente a satisfação da maioria dos gestores locais do país com a possibilidade oferecida pelo programa Mais Médicos de garantir atendimento básico a toda a população. Encaminhamos, em anexo, a revista publicada com os resultados desses estudos, debates e visitas.

Lembramos ainda que os profissionais que prestarem e forem aprovados pelo revalida ganham o direito do exercicio da medicina no Brasil e, por isso, deixam de serem obrigados a atender apenas no lugar designado pelo programa Mais Médicos, podendo, portanto, ir para qualquer grade centro urbano do país, onde estão a maioria dos médicos brasileiros.

 

Nesse sentido, vimos apelar ao Bolsonaro que busque reverter a decisão anunciada hoje pelo Ministério da Saúde Publica de Cuba de terminar a parceria com a OPAS para envio de médicos ao Brasil.

 

Certos de contar com a sua atenção.

Atenciosamente,"

 

Ary Vanazzi

Presidente da Associação Brasileira de Municípios (ABM)

 

Veja também:

>> Sobre o fim do Mais Médicos - uma análise pessoal

>> Lula, o Sítio de Atibaia e o maior delinquente da história do Brasil

>> Colunista revela crise nervosa entre profissionais do jornalismo da Globo - vídeo

>> Documentário sobre o golpe contra Dilma é indicado ao Oscar - vídeo

>> Morre o cineasta, diretor, professor e escritor Caique Botkay

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Menos Médicos: Associação de Municípios pede manutenção de cubanos
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!